Bnei Noach

Livros recomendados para as crianças Bnei Noach e Sete textos da bíblia judaica para elas recitarem

OUTUBRO
MÊS DAS CRIANÇAS

 

A Fé Original: Noaismo.info

Um Site Bnei Noach

 

B”H

 

Livros recomendados para as crianças Bnei Noach e Sete textos da bíblia judaica para elas recitarem

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2017/10/25/livros-recomendados-para-as-criancas-noaitas/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/05/25/sete-textos-biblicos-para-as-criancas-noaitas/

 

O Rebe disse:

“Todos os seres humanos são ordenados a acreditar em D’us.

O objetivo das Sete Leis Noaíticas é a humanidade civilizar o mundo de uma forma divina. Certamente cada pessoa, independentemente de sua cor ou origem, deve voltar-se para D’us pedindo por suas necessidades e confiar NELE.

A crença não afeta necessariamente a conduta de uma pessoa. As crenças de uma pessoa podem ser separadas de sua mente e conduta. Muitas pessoas falam sobre acreditar em D’us ou ter D’us em seus corações. O desafio da fé não é apenas acreditar. Na verdade, simplesmente ter fé não é nenhum desafio, já que a fé é uma parte inerente de nossa existência. Todos nós nascemos com fé. Nosso desafio é agir NA fé, de modo que nosso compromisso espiritual influencie nosso pensamento e conduta diários.

A confiança em D’us é uma necessidade fundamental. É impossível construir uma sociedade justa e moral sem confiança em D’us e dependência de SEUS princípios.

Um compromisso honesto com D’us permite que uma pessoa supere a tendência natural para o interesse próprio e considere o bem-estar dos outros.

O Rabi Maimônides escreve perto do fim do Mishnê Torá, seu abrangente código da lei judaica:

“Moisés {o maior de todos os profetas} foi ordenado pelo Todopoderoso a influenciar todos os habitantes do mundo a aceitar os Sete Mandamentos dados aos descendentes de Noá. … Estes Mandamentos devem ser aceitos e observados porque D’us ordenou-lhes… e nos instruiu sobre eles através de Moisés … . Aquele que os observa somente por convicção intelectual não é devoto {de Hashém} e nem sábio.”

O Rabi Maimônides fornece uma base sólida para a moralidade: a aceitação dos Mandamentos de D’us.

Estas diretrizes enfocam a crença em D’us {(Bereshít/Gênesis 1:27; 2:16; 6:8-9,13,22; 7:1; 8:15-16,20; 9:1,8-9,17)} e as nossas responsabilidades espirituais para com ELE.

Uma não pode existir sem a outra. A fé genuína em D’us requer conduta moral, e a conduta moral só pode prosseguir de maneira estável e contínua quando baseada na confiança em D’us.

Todas as pessoas, e não só os judeus, têm de acreditar em D’us e vivenciar D’us. {Esta é a primeira Lei Divina dos filhos (descendentes) de Noá.}

Até mesmo inclusive a educação de uma criança deve se basear em verdades universais. A criança deve entender que existem regras absolutas na vida, e que estas {regras} vêm de um CRIADOR absoluto que as incorporou na própria estrutura do Universo.

Isso causa uma forte impressão nas crianças, dotando sua vida de significado, propósito e direção. Elas aprendem que o mundo tem um MESTRE — não uma abstração filosófica, mas um D’us pessoal que SE interessa muito pelos assuntos de cada indivíduo, e a QUEM todo o mundo tem de prestar contas.

Uma criança deve perceber que suas ações (ou falta de ação) são importantes e têm consequências. Deve-se ensinar-lhe a responsabilidade e a sensibilidade para com os outros. A chave para estas virtudes positivas é um relacionamento bem fundamentado com D’us.

Nossos filhos devem aprender que o mundo não é uma selva. Uma criança deve se tornar consciente do “Olho que vê, e do Ouvido que ouve”, de um D’us onipresente que deu para a humanidade regras de conduta adequada, e que vigia para ver se estas {regras} são respeitadas.

É no nível pessoal que as Leis Noaíticas são mais poderosas, já que é através de nossas vidas que a influência cria uma mudança real. Ao melhorar nós mesmos, melhoramos o mundo.”

 

Por Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Anúncios
Padrão
Bnei Noach

Que tipo de livro é a Bíblia (Torá)?

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 


“Toda a Torá foi dada para tornar este mundo físico um lugar espiritual e harmônico.” — Rabi Eli Levy (Chabad)


 

 

Que tipo de livro é a Bíblia (Torá)?

 

Por Rabi Eli Brackman (Chabad)

 

Nos últimos anos tem havido uma enorme quantidade de livros sobre a Bíblia que servem como guia para diferentes áreas da vida e perspectivas.

É possível encontrar livros sobre a Bíblia como literatura, Bíblia como arqueologia, Bíblia como poesia, Bíblia como história, Bíblia como filosofia, Bíblia como código para a ciência política e Bíblia como guia para a sabedoria nos negócios.

Em um livro muito intrigante do rabino Jonathan Sacks, The Home that we Build Together (O Lar que Vamos Construir Juntos), ele argumenta que a Bíblia Hebraica pode ser usada como um livro de texto sobre como construir uma sociedade multicultural bem-sucedida no século 21 no Reino Unido.

Similarmente, no livro Jewish Wisdom for Business Success: Lessons from the Torah and Other Ancient Texts (Sabedoria Judaica para o Sucesso nos Negócios: Lições da Torá e Outros Textos Antigos), o rabino Levi Brackman argumenta que os textos antigos da Torá podem servir como uma fonte de sabedoria e perspicácia sobre como ter êxito nos negócios.

Enquanto a sabedoria da Torá pode ter algo a dizer ao mundo contemporâneo da política e dos negócios, isto não é essencialmente o que a Torá é e pode levar a interpretações errôneas.

A Torá é essencialmente um trabalho espiritual destinado a aproximar uma pessoa de D’us e assegurar a vivência de uma vida ética e moral entre essa pessoa e sua família e vizinhos.

Isto é indicado no Mishnê Torá do rabino Maimônides (1138-1204), leis de Chanucá (Ch. 3), onde ele afirma que o propósito da Bíblia Hebraica é trazer paz ao mundo.

Para ser claro isto não significa que este é um trabalho sobre a resolução de conflitos a nível geopolítico, mas principalmente sobre a paz entre vizinhos e a harmonia familiar.

Toda a Torá é para este propósito — trazer paz entre uma pessoa e outra.

As histórias da Torá devem ser vistas de maneira similar. Não é um livro de história ou política — deve-se ver a Torá como um texto relevante para o desenvolvimento pessoal e espiritual da pessoa.

No pacto do Monte Sinái os judeus aceitaram um sistema de lei, social e espiritual, ao qual foram obrigados, além das leis universais da sociedade.

O D’us da Bíblia Hebraica é a fonte da moralidade e a Bíblia é o código de ética absoluto. “A Torá é o Ensinamento DIVINO para o povo judeu e para a humanidade.” A Bíblia Hebraica ensina como o indivíduo pode se aproximar de D’us e se tornar um ser humano mais espiritual e moral.

A Torá não é um livro de política ou história, mas de ensinamentos morais para a própria vida pessoal.

 

© Rabi Eli Brackman

Traduzido do inglês por Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

Você sabia que a Bíblia (Torá) tem uma mensagem para você, não-judeu?

Se você ainda não conhece esta mensagem, para conhecê-la, acesse

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/07/05/as-sete-leis-de-noe-o-movimento-bnei-noach-a-espiritualidade-dos-nao-judeus-pdf/

Neste post você também pode baixar a matéria dele em PDF.

 

Dedicado a Natan S. O., e em homenagem ao Rebe anterior (o sexto Rebe de Lubavitch), Rabi Yosef Yitschak Schneersohn.

Padrão
Bnei Noach

Sete textos bíblicos para as crianças noaítas

Sete textos bíblicos para as crianças Bnei Noach

 

B”H

 

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

 

O Rabi Dr. Jacob Immanuel Schochet, do Chabad, o primeiro rabino supervisor de Ash Noah (Instituição voltada para os noaítas (Benêi Nôach/Filhos de Noá)), recomenda sete versículos da bíblia judaica (Tanách) para as crianças noaítas aprenderem e recitarem.
Pedimos a todas as crianças não-judias que memorizem-nas e digam-nas todas as noites antes de dormir.

 

1. Gênesis 1:1
“No princípio D’us criou os céus e a terra.”

 

2. Gênesis 5:1
“No dia em que D’us criou os humanos, ELE os fez à semelhança de D’us.”

 

3. Salmos 34:15
“Evite o mal e faça o bem, busque a paz e a siga.”

 

4. Salmos 145:9
“Hashém é bom para com todos e SUAS misericórdias se estendem sobre todas as SUAS obras.”

 

5. Provérbios 15:3
“Em todos os lugares os olhos de Hashém estão observando os maus e os bons.”

 

6. Jó 28:28
“O temor de Hashém é a sabedoria, e saber evitar o mal é a inteligência.”

 

7. Isaías 48:17
“Assim diz Hashém, Seu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou Hashém, Seu D’us, que lhe ensina para o seu próprio benefício, que lhe conduz pelo caminho que deve seguir.”

 

Tradução de Noaismo.info

© Rabi Jacob Immanuel Schochet
© Ask Noah.org

Padrão
A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo

A existência de um povo que prova a existência de D’us

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

Você já parou para pensar no como e no por que o povo judeu existe até hoje (existe há 4.000 anos)?

 

É a existência de um povo que prova a existência de D’us.

 

Veja em

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/04/22/o-povo-de-dus/

Padrão
Bnei Noach

As mensagens dos biscoitos da sorte chineses

B”H

 

Perguntas E Respostas

 

De acordo com as 30 mitsvót Bnei Noach, é “proibido astrologia” e é “proibido adivinhação”. Sendo assim, ler as mensagens dos biscoitos da sorte chineses transgride uma proibição bíblica?

 

Por Rabi Moshe Miller (Chabad)

 

Realmente há uma proibição contra voltar-se para adivinhos e videntes: “Deves seguir D’us com fé perfeita [e não] ouvirás os astrólogos e adivinhos” (Deuteronômio 18:13-14).

No entanto, eu duvido que alguma pessoa leva a sério os biscoitos da sorte. As pessoas só lêem-nas para entreter-se. Se é este o caso, então você não tem nada com que se preocupar. Mas se você os leva a sério, então você não deve lê-las.

 

© Rabi Moshe Miller (Chabad)

Traduzido do inglês por Noaismo.info. © 2015-2019 Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão
Bnei Noach

Pode-se vender a alma ao diabo?

B”H

 

(Atenção:
Nas palavras transliteradas, o “ch” tem som de “RR”. Exemplos: Chabád; Chaguigá; Tanách; Sichót, etc.

Nas palavras transliteradas, o “sh” tem som de “CH”. Exemplos: Moshé; Yeshayáhu; Hashém; Shemót, etc.)

 

Pode-se vender a alma ao diabo?

 

Por Rabi Baruch S. Davidson (Chabad)

 

Pergunta:
Os judeus e os noaítas acreditam que uma pessoa pode vender a alma dela ao diabo?

 

Resposta:
A idéia de “uma pessoa vender a alma dela ao diabo” — isto é, tornar-se escrava do diabo em troca do provimento de favores — não existe na Torá. Obras éticas judaicas descrevem casos em que alguém pode ser “possuído” (dominado) de alguma forma pelos impulsos do mal. Mas mesmo esse estado é sempre reversível.

Antes de abordar isto, aqui está um pouco sobre a natureza de Satán no pensamento judaico/noaítico:

Satán é um verbo hebraico que significa “provocar” ou “opor-se” e é usado várias vezes na Bíblia (Tanách) como um verbo. O primeiro exemplo está na história de Bilám (Balaão), quando Bilám decide assumir a missão de amaldiçoar o povo judeu:

“A ira de D’us SE acendeu porque ele se ia; e pôs-se um anjo de Hashém no caminho para opor-se a ele (tradução de ‘lesatán lo’), e ele viajava na sua jumenta, e seus dois servos estavam com ele.” (Bamidbár/Números 22:22)

Em outros casos, a palavra aparece como um substantivo, “um provocador”. Geralmente, o título aparece com o artigo definido — “o satán” — o que significa que não é um nome próprio, apenas uma descrição do trabalho. Por exemplo, no livro de Jó, o satán aparece como um promotor diante de D’us:

“Certo dia, os anjos vieram se apresentar perante Hashém, e com eles veio também o satán.

E disse Hashém para o satán: ‘De onde vens?’ E o satán respondeu para Hashém: ‘De ir e vir e de caminhar de um lado para o outro por toda a terra.’

E Hashém perguntou para o satán: ‘Viste o Meu servo Iyóv, que não há ninguém igual a ele na terra por ser íntegro, justo, temente a MIM e distanciado de todo o mal?’

Ao que o satán contestou Hashém, e disse: ‘Temerá Iyóv a Hashém, sem motivo? Não o envolveste com uma cerca protetora, sua casa e tudo o que lhe pertence? Abençoaste o trabalho de suas mãos e (por isto) cresceram seus bens sobre toda a terra. Mas se estenderes TUA mão contra tudo que ele possui, verás como TE amaldiçoará frente a frente!’

E respondeu Hashém para o satán: ‘Concedo-te poder para destruir tudo que ele tem; somente a ele, pessoalmente, não deves tocar!’ E o satán retirou-se da presença de Hashém.” (Iyóv/Jó 1:6-12)

Desta passagem, vemos que D’us criou um anjo para desempenhar o papel de provocador; que ele é um mensageiro de, e subordinado a, D’us. Ele não é um anjo caído nem foi enviado para o inferno, onde começou a lutar contra D’us; ele foi criado para ser Satán. Tampouco Satán passa seus dias alimentando as chamas do inferno com seu tridente. É uma presença na terra com uma missão: provocar as pessoas a desobedecerem a vontade de D’us.

De fato, a noção [pagã] dualista de uma poderosa figura anti-D’us que luta com D’us pelo destino da raça humana é incompatível com a crença judaica/noaítica. Não existe poder do mal independente de D’us; do contrário, isto implicaria uma falta de controle e poder abrangentes de D’us. Para citar o livro de Isaías:

“… para que todos, do leste e do oeste, soubessem que nada há além de MIM. EU, somente, sou Hashém (O D’us), não há mais nada. Sou EU QUEM forma a luz e cria a escuridão; EU faço a paz e Sou EU QUEM cria o mal; EU sou Hashém que tudo faz.” (Yeshayáhu/Isaías 45:6-7)

Obviamente, então, o satán não é uma força autônoma que se opõe a D’us e recruta pessoas para sua milícia. Em vez disso, o satán é uma entidade espiritual que é completamente fiel ao seu criador. Por exemplo, em relação à história bíblica da tentativa particularmente agressiva do satán de seduzir Iyóv a blasfemar, o rav Leví declara no Talmúd (Bavá Batrá 16a):

“O Satán agiu por causa de D’us. Quando ele viu como D’us estava inclinado a favor de (i.e., tão focado em) Iyóv, ele disse: ‘O Céu não permita que D’us esqueça o amor de Avrahám (o antepassado do povo judeu).'”

O Zôhar (vol. 2, página 163a) compara o satán a uma prostituta que é contratada por um rei para tentar seduzir seu filho, porque o rei quer testar a moralidade e a dignidade de seu filho. Tanto o rei como a prostituta (que é dedicada ao rei) realmente querem que o filho permaneça firme e rejeite os avanços da prostituta. Da mesma forma, o satán é apenas mais um dos muitos mensageiros espirituais (anjos) que D’us envia para realizar SEU propósito na criação do homem (veja também os capítulos 9 e 29 do Tania).

Esta não é a descrição completa do trabalho do satán. O Talmúd (Bavá Batrá, ibidem) resume dizendo que o satán, a má inclinação (“iêtser hará”) e o Anjo da Morte são uma e a mesma personalidade. Ele desce do céu e induz ao erro, depois ascende e apresenta acusações contra a humanidade, e então cumpre o veredito.

No entanto, a passagem acima mencionada no Zôhar conclui que se uma pessoa sucumbe à insistência da má inclinação, ela “dá energia para o outro lado”. Isto significa que um ato de desafio à vontade de D’us concede àquelas forças que ocultam a presença de D’us — pela Vontade DELE — força adicional para ocultar D’us ainda mais de nós. Isto se apresenta como desafios internos e externos ainda maiores para a pessoa experimentar e se identificar com as verdades de D’us e SUA Torá.

Um exemplo extremo disto seria o Faraó, que escravizou o povo judeu no Egito. Apesar de D’us ter pedido a Moshé que mandasse o Faraó libertar os israelitas, ELE declarou: “EU fiz seu coração e o coração de seus servos endurecer” (Shemót/Êxodo 10:1) a fim de finalmente punir os egípcios com as dez pragas. Como consequência de sua opressão anterior e abuso da nação judaica, sua capacidade de abandonar seus maus caminhos foi dificultada ainda mais até o ponto em que parecia que ele havia perdido a liberdade de escolha, e sua visão de arrependimento e capacidade de senti-lo ficaram completamente prejudicadas (Maimônides, Leis do Arrependimento 6:2).

Em última análise, não há nada que possa impedir alguém que realmente se esforça para retornar (Talmúd Yerushalmí, Peá 1:1). Portanto, mesmo o Faraó ainda tinha a capacidade de superar este bloqueio e finalmente arrepender-se (baseado em Likutêi Sichót vol. 6, páginas 65-66. Veja também Maharshá sobre Chaguigá 15a). Assim, mesmo quando uma pessoa parece estar completamente dominada pelo satán – como retribuição divina por seus erros anteriores, não pela escolha de negociação com o diabo – ela nunca está vendida, e pode superar seu instinto e impulso de agir satanicamente. Estar completamente vendido sem esperança de redenção seria contraproducente ao propósito de D’us e seria inconcebível.

Independentemente de onde você tenha caído, você nunca está vendido a estas forças impuras, e sua alma pode lutar livremente e voltar a se comprometer a servir D’us com sinceridade e paixão. O machado do arrependimento sincero pode derrubar qualquer parede, seja preexistente ou criado por suas ações, abrindo o caminho para que você volte para casa, para o seu verdadeiro eu.

 

Rabi Baruch S. Davidson (Chabad)

 

Veja também

E ouça o áudio em

Existe diabo no Judaísmo? O que é o satan do Tanach?

 

© Chabad.org
Traduzido do inglês por Noaismo.info. © 2015-2019 Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão
Bnei Noach

Nova página do site noaismo.info

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

No mês de aniversário do site A Fé Original: Noaismo.info ( ), uma nova página, Graças a D’us.

 

Confira:

https://a-fe-original–noaismo.info/palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

Padrão