A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Bnei Noach, Judaísmo

É dezembro, e isso significa…

A Fé Original: Noaismo.info

O Site Bnei Noach

B”H

 

Estamos no mês civil de Dezembro. Isso significa que estamos no tempo de destacarmos as seguintes matérias:

 

Saudações de Fim de Ano

https://a-fe-original–noaismo.info/2018/12/05/site-bnei-noach-saudacoes-de-fim-de-ano/

 

A verdadeira história de Jesus e do cristianismo

https://a-fe-original–noaismo.info/2017/12/20/site-bnei-noach-a-verdadeira-historia-de-jesus-e-do-cristianismo/

 

Qual é a atitude judaica com relação a Jesus?

https://a-fe-original–noaismo.info/2018/06/12/site-bnei-noach-qual-e-a-atitude-judaica-com-relacao-a-jesus/

 

e

A Principal Função do Mashíach

https://a-fe-original–noaismo.info/2017/12/06/site-bnei-noach-a-principal-funcao-do-mashiach/

 

Padrão
Bnei Noach, Perguntas & Respostas (e Guia Bnei Noach)

Saudações de Fim de Ano

A Fé Original: Noaismo.info

O Site Bnei Noach

B”H

Perguntas E Respostas

Por Noaismo.info

 

Pergunta:

Sou noaíta. Como noaíta, naturalmente, não comemoro o natal. O que devo responder quando me desejam “Feliz Natal”? Devo simplesmente repetir a saudação ou devo educadamente informar que sou noaíta e que não comemoro o natal?

Além disso, qual deve ser a posição de um noaíta quanto ao Ano Novo do calendário gentílico? E pode-se desejar a outros (tanto a outros noaítas, como a outros não-noaítas) um feliz Ano Novo no dia 1° de janeiro?

 

Resposta:

Em primeiro lugar, devemos levar em conta que, hoje em dia, muitos que desejam “feliz natal” fazem-no apenas por educação, e não porque comemoram-no. Muitos são cristãos não-praticantes e muitos sequer acreditam no natal.

De qualquer modo, o Chabad.org declara (quanto à própria saudação natalina): “Não há nenhum problema em desejar (a um cidadão cristão) um feliz ano novo, e de coração.” (Sim, dizer “feliz ano novo” como resposta ao natal.)
Sim, nós noaítas (Bnei Noach) podemos dar uma resposta à saudação em vez de ficarmos quietos ou dizermos que não comemoramos as festas cristãs.

Vejamos se além disso há algo que nós noaítas podemos aprender da posição dos judeus frente à data do 25 de dezembro e do 1° de janeiro.

Para a pergunta: “Pode-se desejar um feliz natal ou boas festas para um conhecido ou vizinho gentio?”, o Rabí Yaakov Goldstein afirma que os judeus não pronunciam a palavra natal (principalmente em inglês — christmas — já que ela deriva de christ), assim como não pronunciam a palavra cristo*. (* Apenas por uma questão de curiosidade e informação, quanto a se os judeus podem ou não escrever e pronunciar o nome Jesus ou Yeshua, o Rabí diz que “pela letra da Lei é permitido pronunciar e escrever o nome Jesus ou Yeshua”, apesar do costume de evitar dizer estes nomes.) Porém, ele passa a explicar:

“Se o gentio não acredita nas conotações religiosas por trás do feriado [de 25 de dezembro], então não há nenhuma proibição de dizer para ele “boas festas” [ou, bom feriado, já que para tal gentio — que neste caso até pode ser exatamente um noaíta — tal dia não passa disso mesmo, de apenas um feriado].
Se, no entanto, o gentio acredita no conteúdo relacionado à idolatria por trás do natal, é proibido desejar-lhe boas festas.
Aparentemente, só se pode desejar-lhe boas festas em uma situação urgente, para evitar inimizade. Certamente, não se deve esforçar-se para cumprimentá-lo e enviar-lhe votos, como por exemplo através das redes sociais, a menos que a falta de fazer isso cause inimizade. Em todos os casos nos quais alguém se encontra com um conhecido gentio lá fora, que é um cristão praticante, deve-se cumprimentá-lo em voz baixa. Certamente dizer as palavras “boas festas” dá credibilidade à sua idolatria, e por isso faz-se unicamente com a finalidade de evitar inimizades. No entanto, o termo natal não deve ser dito, como já explicado.

Pode-se [um judeu] desejar a outros um feliz ano novo no dia 1º de janeiro? Hoje em dia, praticamente, muitos gentios não associam o ano novo a nenhuma observância religiosa. É simplesmente um dia para celebrar o início do ano novo no calendário, e fazer resoluções de ano novo.

Não há nenhuma proibição de se desejar um feliz ano novo para um gentio que não associa o dia a nenhuma conotação cristã ou adoração para uma divindade.
É preciso evitar desejar um feliz ano novo para um cristão praticante (particularmente católicos e luteranos) que acredita na doutrina cristã por trás do feriado de ano novo. Certamente, não se deve esforçar-se para cumprimentá-lo e enviar-lhe votos, como por exemplo através das redes sociais, a menos que a falta de fazer isso cause inimizade. Em todos os casos nos quais alguém se encontra com um conhecido gentio lá fora, que é um cristão praticante e acredita na festa de ano novo, deve-se cumprimentá-lo em voz baixa.

Em geral, não é costume dos judeus desejar a outros judeus um feliz ano novo no dia primeiro de janeiro. O motivo:
a) o ano novo é considerado um feriado cristão.
E b) Nega o verdadeiro Ano Novo que está em Rosh Hashaná. Portanto, [nós judeus] não queremos dar crédito ao ano novo gentio. Porém, pela letra da Lei não há nenhuma proibição de fazê-lo.

O Rebe Levi Yitzchak de Berditchev desejaria para todos [os judeus] um feliz ano novo no dia 1º de janeiro. Da mesma forma, o Rebe (Rabi Menachem Mendel Schneerson) certa vez desejou para um chassíd um feliz ano novo na manhã do dia 1º de janeiro, continuando a tradição do Rebe Levi Yitzchak.
Certa vez, o rabi Sholom Hecht teve um Yechidút com o Rebe — uma audiência privada entre o Rebe e um chassíd — na manhã do dia 1º de janeiro. Em algum momento durante o Yechidút o Rebe disse-lhe “feliz ano novo”. O rabi Hecht ficou muito surpreso. O Rebe então lhe disse que o Rebe Levi Yitzchak de Berditchev costumava dizer para seus congregantes “feliz ano novo”, e isso baseado nos Tehilím (Salmos) 87:6 onde diz “Hashém yispor bichtov amím…”: “Hashém contará no registro dos povos…” Também está registrado que o Rebe desejou para o seu secretário, o rabí Nissan Mindel, um feliz ano novo em 1º de janeiro. Também está registrado que o Apter Rebe — o Rabí Avraham Yehoshua Heshel de Apta —, autor de Ohêv Yisrael, desejaria um feliz ano novo e abençoaria o povo judeu neste dia. O autor de Báal Hayeshuót (Zlotchov) também abençoaria os judeus com um bom ano, e diria com um sorriso que quando Hashém vê como os gentios celebram o ano novo [deles] e o compara com os judeus, ELE rasga os SEUS decretos malignos [contra os gentios].

Presentes podem ser dados para um gentio em seus feriados se ele não acredita no ídolo e não o adora.
É proibido dar presentes a um adorador de ídolos (mesmo que se trate de um conhecido) no dia de suas festividades, que inclui natal e Ano Novo. No entanto, alguns Poskim declaram que os cristãos de hoje não são mais especialistas em idolatria, que os cristãos de hoje são simplesmente “Maassê Avotehêm be Iedehêm”: (literalmente) “As ações de seus pais (continuam) nas suas mãos (dos filhos)”, [ou seja, os filhos ou netos trilham o mesmo caminho dos pais e avós,] e, portanto, é permitido dar-lhes presente (se se trata de um conhecido), especialmente se a falta de fazer isso trará inimizade e ódio contra nós [judeus]. Assim, praticamente, se alguém [judeu] precisa enviar presentes para um (conhecido) cristão no dia de suas festividades, como o Ano Novo e o natal, é permitido fazê-lo. No entanto, se possível, o presente deve ser enviado antes do início do feriado, como na tarde anterior ao feriado. Se isso não for possível, então o presente pode ser enviado no próprio feriado.”

© Chabad.org
© Rabi Yaakov Goldstein
Traduzido do inglês por Projeto Noaísmo Info. © Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Assista

 

Padrão