Bnei Noach

Tzniút (Modéstia)

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

Tzniút (Modéstia)

 

Por Rabi Shmuel Kaplan (Chabad)

 

As questões fundamentais são: o que é modéstia, de onde ela vem, e deve o governo estabelecer os padrões (da modéstia) e aplicá-los?

A comida, a roupa e o abrigo compõem os três elementos essenciais da sobrevivência humana. Em cada um destes, os humanos são radicalmente diferentes dos animais. Os animais encontram seu alimento em seu habitat natural, nascem com a roupa de que necessitam e se contentam com um abrigo temporário quando é necessário. Os humanos têm de produzir sua comida, fazer sua própria roupa e construir seu abrigo. E é isto que impulsiona a maior parte da atividade humana. Por quê?

Para abordar a categoria de roupa, devemos nos voltar à Bíblia e à primeira história após a criação.

Quando Adão e Eva pecaram comendo da árvore do conhecimento, toda a sua concepção do mal mudou de uma consciência intelectual desapaixonada para uma compulsão interna. A sexualidade, por exemplo, não era mais uma função biológica agradável necessária para produzir a próxima geração e povoar o mundo, mas uma poderosa (e em muitos, avassaladora) luxúria que mal pode ser contida e frequentemente leva a muitos estragos e dor emocional. Como resultado, tornou-se necessário esconder as partes do corpo que poderiam superestimular esta poderosa força. E foi aqui que a modéstia entrou em cena.

Mas a modéstia é muito mais do que um encobrimento de roupa; é um estado de espírito e um modo de vida para homens e mulheres e é construído sobre um sistema de valores subjacente. Todos nós entendemos que se deve entrar em um local de adoração com uma reverência e um respeito apropriados e o mesmo se dá quando se reconhece que D’us está verdadeiramente em todos os lugares e que estamos constantemente em SUA presença. Portanto, devemos manter um grau desta reverência em todos os momentos e em tudo o que fazemos. Além disso, a modéstia geral também ajuda a manter uma vida familiar saudável e até mesmo um estado sagrado de vida familiar (conforme exigido pela Torá).

Desta perspectiva, a modéstia é e se relaciona com a pessoa inteira: a maneira como pensamos, falamos e agimos (a roupa é apenas um aspecto desta estrutura). Isto pode ter o benefício adicional de se libertar do julgamento constante, da objetivação e da necessidade de validação por outros que assola nossa sociedade.

Uma força governamental externa, que não está no negócio de promover um sistema de valores particular, não pode impor a modéstia às pessoas nem pode impor o que considera imodéstia. Tais escolhas devem vir exclusivamente do sistema interno de valores do indivíduo e devem ser deixadas ao critério de cada indivíduo. Isto não significa que o governo não deva promover valores fundamentais comuns que formem uma base saudável para a civilização.

O profeta Michá (6:8) o disse melhor: “Ele lhe disse, ó homem, o que é bom e o que Havayáh quer de você. Apenas que você faça justiça, ame a bondade e caminhe humildemente com seu D’us (ao observar Seus mandamentos).”

 

© Rabi Shmuel Kaplan

Traduzido do inglês por Noaismo.info

 

Dedicado a Sophia Celeste S. O.

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

Veja também

https://a-fe-original–noaismo.info/2017/12/01/noaitas-e-o-vestir-se/

Anúncios
Padrão
Bnei Noach

NOVA PÁGINA PARCIALMENTE PUBLICADA

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

O Site Noaismo.info tem o prazer de anunciar que a nossa nova página já está parcialmente publicada

 

https://a-fe-original–noaismo.info/o-rebe-diz-nao-a-judaizacao-de-bnei-noach/

Leia se tiver coragem!

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão
Bnei Noach

Bnei Noach podem celebrar as Festividades Judaicas ou alguma delas?

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

Perguntas & Respostas

Bnei Noach podem celebrar as Festividades Judaicas ou alguma delas?

 

O “Shulchán Arúch” Benêi Nôach — o livro The Divine Code (“O Código Divino”), conhecido no hebraico como Shéva Mitsvót Hashém (“As Sete Mitsvót [Universais] de Hashém”) —, da Ask Noah, é enfatico:

“Qualquer mandamento [de se celebrar] um dia sagrado judaico está proibido para um gentio(*). Práticas relacionadas especificamente com esses dias tais como [por exemplo] comer pão sem levedura no Pêssach, agitar uma folha de palmeira (luláv) ou sentar-se em uma sucá em Sucót, jejuar em Ióm Kipúr, tocar shofár no Rósh Hashaná, também estão proibidos para um gentio. Tudo isso porque [se ele faz essas coisas,] ele está cumprido um dia sagrado que ele não foi mandado cumprir, e é uma proibição que alguém faça seu próprio dia sagrado devido a que está proibido criar uma outra religião(**.

 

* Isso inclui o Shabát, pois “Havayah falou a Moshé, dizendo-lhe para falar aos benêi Yisrael e dizer-lhes: Há épocas especiais que vocês devem celebrar como feriados sagrados a Havayah. São as seguintes Minhas festividades: … o sétimo dia é um Shabát … um feriado sagrado para Havayah.” (Levítico/Vayicrá 23, A Torá Viva, Rabi Aryeh Kaplan, Maayanot.) “Vede [benêi Yisrael], Havayah vos deu o Shabát.” (Êxodo/Shemót 16:6, 29). Como diz o Rabi Aryeh Kaplan: “O Shabát foi outorgado ao povo judeu quando receberam o maná pela primeira vez.” E como diz a Revista Morashá: “O Shabát — o único ritual judaico que é um dos Dez Mandamentos — é a primeira de todas as festas [judaicas], porque é a primeira a ser mencionada na Torá (Levítico, 23:2-3). Diz a Torá: “(O Shabát) é um sinal entre MIM (Havayah) e os benêi Yisrael para sempre” (Êxodo, 31:17). Apesar de muitos não o saberem, qualquer Shabat é o dia mais sagrado do ano judaico, até mesmo mais do que Ióm Kipúr (Shulchán Arúch, Órach Chaím, 242:1).” (© Instituto Morashá de Cultura.)

A única exceção é a celebração de Rósh Hashaná, por se tratar do dia da Criação da Humanidade (Adám e Chavá).

 

** Pois ele não é judeu e está praticando um mandamento especificamente judaico, então isso não é nem noaísmo nem judaísmo, logo, é outra coisa — é criar outra religião.)”

 

The Divine Code, Terceira Edição, versão inglesa autorizada do original em hebraico: Sheva Mitsvot Hashem, por Rabi Moshe Weiner, 2018 Ask Noah International.

© Ask Noah International
© Rabi Moshe Weiner
© Rabi Dr. Michael Schulman

Padrão
Bnei Noach

Saudações de Fim de Ano

B”H

 

Perguntas E Respostas

 

(Atenção:
Nas palavras transliteradas, o “sh” tem som de “CH”. Exemplos: “Shulchán”; “Shalóm”.)

Nas palavras transliteradas, o “ch” tem som de “RR”. Exemplos: “Shulchán Arúch”.)

 

Por Noaismo.info

 

Pergunta:

Sou noaíta. Como noaíta, naturalmente, não comemoro o natal. O que devo responder quando me desejam “Feliz Natal”? Devo simplesmente repetir a saudação ou devo educadamente informar que sou noaíta e que não comemoro o natal?

 

Resposta:

Em primeiro lugar, devemos levar em conta que, hoje em dia, muitos que desejam “Feliz Natal” fazem-no apenas por educação, e não porque comemoram-no. Muitos são cristãos não-praticantes e muitos sequer acreditam no natal.

De qualquer modo, o Chabad.org declara: “Não há nenhum problema em desejar (a um cidadão cristão) um feliz ano novo, e de coração.”
Sobre isto (i.e., responder à saudação em vez de ficar quieto ou dizer que não comemora), 
o rabi Joshua Jonathan explica: “No Shulchán Arúch, o Rabi Moses Isserles chama a atenção para a necessidade de sermos bons cidadãos em uma sociedade onde judeus e noaítas e cristãos convivem e fazem negócios juntos, mesmo no que diz respeito a saudações problemáticas. Tudo é feito em prol da paz. A idéia é reduzir as tensões, não aumentá-las.”

Se ainda assim você se sente desconfortável em responder “feliz ano novo”, o rabi indica:

“Que você tenha um dia abençoado.”

“Shalóm.”

“Assim, se alguém que sabe que você é noaíta (e, portanto, sabe que você não comemora o natal) lhe diz “Feliz Natal” só para lhe provocar, prossiga a conversa elevando-a respondendo “Shalóm”. Mas se é simplesmente alguém na rua, no cinema ou no supermercado, (responder “feliz ano novo”) ou “Boas Festas” estará bom da mesma forma.”

 

© Chabad.org
© Rabi Joshua Jonathan


Traduzido do inglês por Noaismo.info. © 2015-2019 Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão
Bnei Noach

Nova página do site noaismo.info

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

No mês de aniversário do site A Fé Original: Noaismo.info ( ), uma nova página, Graças a D’us.

 

Confira:

https://a-fe-original–noaismo.info/palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

Padrão
Bnei Noach

Mandamentos para os judeus e mandamentos para os Bnei Noach

B”H

 

Mandamentos para os judeus e mandamentos para os Bnei Noach

 

Você sabia que existem Mandamentos exclusivamente JUDAICOS, ou seja, que são apenas para os judeus (ou, em outras palavras, que são proibidos para os Bnei Noach)?

Você sabia que as Leis de Noá não são somente Sete? Você sabia que muitos dos 613 mandamentos da Torá são subdivisões ou ramificações das Sete Leis?

Você sabia que existe um limite de até onde um noaíta pode ir no cumprimento de mitsvót? E que esse limite foi estabelecido pelo PRÓPRIO D’us, Hashém, e não por algum humano?

 

“Prestem muita atenção:

[(Conforme exposto pelo Rambám e pelo Rebe)]

Além de nossas 7 leis [literais,] nós, Bnei Noach,] podemos cumprir qualquer mandamento da Torá [que são] derivações delas (das 7 leis) em todos os seus detalhes, desde que seja lógico ou proporcione um benefício tangível para a sociedade, para si mesmo ou para o mundo como um todo(*.”

* Este é o caso, unicamente, do tipo de mandamentos chamados Mishpatím.)

Extraído do Curso das Leis Noaíticas da Ieshivá Pirchéi Shoshaním.

 

O Rabi Ariel Groisman (que tem seus vídeos sobre Bnei Nôach postados no site do Chabad) explica o significado de: “podemos cumprir qualquer mandamento da Torá” e destemidamente exorta-nos:

“Não podemos cumprir aqueles mandamentos que são exclusivos e identificadores do povo judeu (os Edót), por exemplo: FESTIVIDADES, SHABÁT, TALÍT, TEFILÍN, MICVÊ, TSITSÍT, etc.
Se vão imitar os judeus, façam-no com respeito (aos Mishpatím: )à solidariedade, caridade e justiça social que eles praticam, e com respeito à perseverança no estudo da Torá.
Se deseja imitar o povo judeu, faça-o com respeito a estudar e ensinar os valores da Torá, e os atos de justiça social e beneficência. Eles fazem isso. Imite-os.”

 

O Rabi Ariel Groisman é Rabino do Centro de Estudos do Gran Templo Paso de Buenos Aires, Argentina, e co-fundador e co-diretor do centro noajidas.org, um Centro de Estudos virtual e físico dos Sete Princípios Universais.

http://www.noajidas.org

 

Veja também

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2018/04/02/o-modo-de-vida-dos-bnei-noach/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/03/27/exceto-as-sete-leis-de-noe-pode-um-nao-judeu-observar-mitsvot/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/08/01/maimonides-e-os-bnei-noach/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2017/12/02/noaitas-e-os-613-mandamentos-judaicos-divinos-ou-a-criacao-de-ritos/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2018/05/06/nao-recebemos-nenhum-merito-por-observar-mandamentos-que-nao-nos-sao-pertinentes/

 


https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

Padrão