A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo

A prova de que Jesus não é o mashiach

 

Muitos ex-cristãos — se não todos — que agora são Noaítas ou Bnei Noach pensam que para o judaísmo a maior prova de que Yeshu (Jesus) não é o mashíach (messias) é o não cumprimento das profecias bíblicas messiânicas. Porém, na verdade, dentro do próprio judaísmo este fator (o não cumprimento das profecias messiânicas) ou é o menor — ou o menos importante — de todos os fatores, ou, de fato, ele nem sequer é levado em conta.

Conhecemos os Trezes Princípios da Torá e sabemos que eles afirmam:

“Sétimo Princípio: Moisés é o maior profeta, não houve antes dele, nem haverá depois quem o iguale;

Oitavo Princípio: a Torá, conforme nós a conhecemos (tanto a escrita quanto a oral), foi dada por D’us a Moisés e por ele transmitida até as nossas gerações. Moisés recebeu diretamente de D’us, no monte Sinai, duas Torót: uma escrita e a outra oral;

Nono Princípio: a Torá é imutável;

Décimo Segundo Princípio: o mashíach (o verdadeiro messias) virá, e embora demore, sua vinda deve ser aguardada diariamente.”

Como explica Chaim Szwertszarf:

“O sétimo elimina aqueles que reconhecem outro profeta completo e máximo, além de Moisés (como por exemplo, Yeshu (Jesus) ou Maomé).
O oitavo elimina os críticos que acham que a Torá (Pentateuco) não foi escrita por Moisés, mas que é obra posterior, escrita por diversos autores.
O nono elimina todas as novas mensagens que pretendem substituir ou acrescentar ou diminuir do que está escrito no Pentateuco ( como por exemplo, o Novo testamento ou o Coran).
O décimo segundo elimina aqueles que dizem que o Messias já se revelou em absoluto.”

 

Como podemos observar, o 8° Princípio diz que Hashém deu duas Torót, uma escrita e a outra oral. E explicando sobre a identidade do Mashíach, Rabí Maimônides ou Rambám, declarou:

“O mashíach estudará a Torá de acordo com a Torá Escrita e a Torá Oral.”

Sobre esta afirmação de Rambám, o Rabí Abraham Stone, em seu ‘Highlights of Moshiach’, publicado pela S. I. E. (1992), diz:

“Por que Rambam adiciona estas palavras? Isso segue o final da Halachá 3 (em edições sem censura): ‘Quem quer que adicione à [Torá] ou exclui da Torá, ou interpreta a Torá incorretamente, ele é certamente um malfeitor e um herege (isso nega qualquer crença em Yeshu como o Mashiach)’.”

 

Portanto, para o Judaísmo basta apenas o fato de que Yeshu (Jesus) não seguiu a Torá nem de uma forma nem de outra* para ele ser descartado como o mashíach.

* Para aqueles messiânicos (cristãos que fingem ser judeus se travestindo de judeus) que iludidos ainda pensam que isso não é verdade e que Yeshu seguia sim, corretamente, a Torá e, portanto, não ensinou nada de diferente, ou seja, nada estranho à ela, daremos apenas dois exemplos: vejam João 14:6, e, João 8:42, 44, e tentem encontrar qualquer ponto em comum ou encontrar qualquer conexão dessas palavras com as palavras da Torá.

 

Escrito por Projeto Noaismo Info: © Projeto Noaísmo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Padrão
A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo

Os Verdadeiros Judeus Messiânicos

 

Os Verdadeiros Judeus Messiânicos:
os judeus que têm permanecido fiéis ao judaísmo

 

Por moré Yosef Ben Shlomo Hakohen

Como sabemos, o cristianismo diviniza Jesus e também o vê como o Messias prometido; assim, alguns judeus que têm adotado crenças cristãs nos últimos anos começaram a chamar a si mesmos de “judeus messiânicos”. Precisamos nos lembrar, entretanto, que eles não têm direito a este título já que ele pertence aos judeus que têm permanecido fiéis ao judaísmo e que, portanto, aguardam o verdadeiro Messias.

Uma das principais razões pelas quais os judeus que adotaram as crenças cristãs, incluindo a divinização de Jesus, não devem ser chamados de “judeus messiânicos” é porque nossas escrituras sagradas definem o Messias como um ser humano. Por exemplo, o Profeta Isaías descreve o Messias como um homem que descende de Jessé, o pai de Davi:

“Um rebento sairá do tronco de Ishai (Jessé) e um ramo de suas raízes brotará. E sobre ele pousará o espírito de Hashém, espírito de sabedoria e de compreensão, de capacidade de aconselhamento e de fortaleza, de conhecimento e de temor a Hashém.” (Isaías 11:1-2 Bíblia Hebraica Editora Sêfer)

A passagem acima indica claramente que o Messias é um ser humano iluminado que teme D’US, mas que não é D’US. Os cristãos, no entanto, chamam o homem que vêem como o Messias de “Deus e Salvador” – uma crença que contradiz a seguinte proclamação divina: “EU, SOMENTE EU, sou D’US, e não há SALVADOR além de MIM.” (Isaías 43:11)

Outra razão importante pela qual os judeus que têm adotado crenças cristãs não devem ser chamados de “judeus messiânicos” é porque Isaías revela na passagem seguinte que o verdadeiro Messias inaugurará uma era de paz mundial e de iluminação espiritual quando ele vier; além disso; na era do Messias, D’US também reunirá [em Israel] todos os exilados [do povo] de Israel:

“Não causarão dano e nada destruirão em MEU santo Monte (Tsión), porque o mundo inteiro estará repleto do Conhecimento de Hashém, como as águas cobrem o mar. Nesse dia o descendente de Ishai será como um estandarte de ponto de encontro para todos os povos. A ele acorrerão todas as nações, e a sua paz será com honra. Será nesse dia que Hashém O MESTRE de todos mais uma vez mostrará SUA mão para recuperar os remanescentes de SEU povo (Israel) que tiverem ficado na Assíria, no Egito, em Patros, em Cush, em Elam, em Shinar, em Chamat, e nas ilhas do mar. ELE erguerá um estandarte para as nações e ajuntará os dispersos de Israel; e ELE reunirá (em Israel) os dispersos de Judá dos quatro cantos da Terra.” (Isaías 11:9-12)

As profecias acima não foram cumpridas durante a vida de Jesus; assim, vê-lo como o Messias é uma traição à tradição profética. Os verdadeiros judeus messiânicos são aqueles que esperam o verdadeiro Messias que inaugurará a era da paz e da iluminação espiritual para Israel e para o mundo. Neste espírito, eles proclamam o seguinte princípio de nossa fé: “Eu creio com total fé na vinda do Messias, e ainda que ele possa se atrasar, no entanto, espero cada dia por sua chegada.”

Enquanto estou sentado em minha casa em Jerusalém, oro para que nossos irmãos e irmãs perdidos que têm adotado crenças cristãs retornem para seu D’US Único e Amoroso, para sua Torá que dá vida e para seu povo, para quem foi dada a Torá e suas interpretações.

Por moré Yosef Ben Shlomo Hakohen

© Yosef Ben Shlomo Hakohen
© Projeto Noaismo Info: traduzido do inglês por © Projeto Noaísmo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

 

Veja também

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/12/09/site-bnei-noach-um-alerta-especialmente-para-os-judeus-cuidado-com-os-autointitulados-judeus-messianicos/

E

https://a-fe-original–noaismo.info/2020/08/03/site-bnei-noach-uma-carta-para-os-bnei-noach/

Padrão
7 Leis/Laws/Leyes, A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Bnei Noach, Judaísmo, Vídeo

O coronavírus e a Torá (A Palavra) de D’us

 

Nesse incrível vídeo, o Rabi Eliahu Hasky explica o que é o coronavírus e como ele surgiu e também qual Recado O CRIADOR da humanidade está querendo passar para ela com esse acontecimento.

O Rabi fala das Sete Leis de Noé da Torá para todos os não-judeus do mundo. Você já as conhece? Sabe do que elas tratam? Quer aprender sobre elas? Acesse e estude as seguintes matérias:

 

E para ficar familiarizado(a) com as palavras utilizadas neste Site, veja

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/04/12/site-bnei-noach-dicionario-do-noaismo/

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright

Padrão
Bnei Noach, Conhecendo O CRIADOR (D'us)

Que tipo de livro é a Bíblia (Torá)?

 


“Toda a Torá foi dada para tornar este mundo físico um lugar espiritual e harmônico.” — Rabi Eli Levy (Chabad)


Que tipo de livro é a Bíblia (Torá)?

 

Por Rabi Eli Brackman (Chabad)

 

Nos últimos anos tem havido uma enorme quantidade de livros sobre a Bíblia que servem como guia para diferentes áreas da vida e perspectivas.

É possível encontrar livros sobre a Bíblia como literatura, Bíblia como arqueologia, Bíblia como poesia, Bíblia como história, Bíblia como filosofia, Bíblia como código para a ciência política e Bíblia como guia para a sabedoria nos negócios.

Em um livro muito intrigante do rabino Jonathan Sacks, The Home that we Build Together (O Lar que Vamos Construir Juntos), ele argumenta que a Bíblia Hebraica pode ser usada como um livro de texto sobre como construir uma sociedade multicultural bem-sucedida no século 21 no Reino Unido.

Similarmente, no livro Jewish Wisdom for Business Success: Lessons from the Torah and Other Ancient Texts (Sabedoria Judaica para o Sucesso nos Negócios: Lições da Torá e Outros Textos Antigos), o rabino Levi Brackman argumenta que os textos antigos da Torá podem servir como uma fonte de sabedoria e perspicácia sobre como ter êxito nos negócios.

Enquanto a sabedoria da Torá pode ter algo a dizer ao mundo contemporâneo da política e dos negócios, isto não é essencialmente o que a Torá é e pode levar a interpretações errôneas.

A Torá é essencialmente um trabalho espiritual destinado a aproximar uma pessoa de D’us e assegurar a vivência de uma vida ética e moral entre essa pessoa e sua família e vizinhos.

Isto é indicado no Mishnê Torá do rabino Maimônides (1138-1204), leis de Chanucá (Ch. 3), onde ele afirma que o propósito da Bíblia Hebraica é trazer paz ao mundo.

Para ser claro isto não significa que este é um trabalho sobre a resolução de conflitos a nível geopolítico, mas principalmente sobre a paz entre vizinhos e a harmonia familiar.

Toda a Torá é para este propósito — trazer paz entre uma pessoa e outra.

As histórias da Torá devem ser vistas de maneira similar. Não é um livro de história ou política — deve-se ver a Torá como um texto relevante para o desenvolvimento pessoal e espiritual da pessoa.

No pacto do Monte Sinái os judeus aceitaram um sistema de lei, social e espiritual, ao qual foram obrigados, além das leis universais da sociedade.

O D’us da Bíblia Hebraica é a fonte da moralidade e a Bíblia é o código de ética absoluto. “A Torá é o Ensinamento DIVINO para o povo judeu e para a humanidade.” A Bíblia Hebraica ensina como o indivíduo pode se aproximar de D’us e se tornar um ser humano mais espiritual e moral.

A Torá não é um livro de política ou história, mas de ensinamentos morais para a própria vida pessoal.

 

© Rabi Eli Brackman

Traduzido do inglês por Projeto Noaismo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Você sabia que a Bíblia (Torá) tem uma mensagem para você, não-judeu?

Se você ainda não conhece esta mensagem, para conhecê-la, acesse

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/07/05/site-bnei-noach-as-sete-leis-de-noe-o-movimento-bnei-noach-a-espiritualidade-dos-nao-judeus-pdf/

Neste post você também pode baixar a matéria dele em PDF.

Aproveite também para ler

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/01/29/site-bnei-noach-o-caminho-espiritual-do-nao-judeu/

e ler

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/03/08/site-bnei-noach-o-caminho-da-tora-para-os-nao-judeus/

 

Dedicado a Natan S. O., e em homenagem ao Rebe anterior (o sexto Rebe de Lubavitch), Rabi Yosef Yitschak Schneersohn.

Padrão
Bnei Noach

Nova página do site do Projeto Noaismo Info

 

No mês de aniversário do Projeto Noaísmo Info, uma nova página, graças a D’us.

Confira:

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

Padrão