A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Bnei Noach, Judaísmo, Perguntas & Respostas (e Guia Bnei Noach)

Shabat, festas judaicas e os Bnei Noach

 

O Shabát e as festividades judaicas não devem ser observados pelos Bnei Noach (noaítas). Por que?

Diz a Torá em Bereshít/Gênesis 8:22: “Dia e noite eles não descansarão”. Daqui aprendem os sábios no Talmúd (Sanhedrín 58b) que um “gentio que descansa, é passível de pena de morte”.

O conceito de “descanso” aqui se refere a tomar um dia da semana como dia de descanso religioso, quer dizer, em nome de D’us, mesmo que não o sétimo dia da semana. O conceito de “morte” aqui se refere à morte celestial, não à morte por uma corte terrestre.

Esta idéia está mencionada na lei judaica (halachá) em Rambám (Rabi Maimônides), Leis dos Reis, cap. 10, lei 9. Isto significa que os gentios tem proibida a observância do Shabát [incluindo honrá-lo, já que não se honra um ritual]. Isto não quer dizer que eles não podem descansar no sentido literal da palavra, e sim que esse descanso não pode ser em honra ao fato de que D’us criou o universo em seis dias e no sétimo dia descansou.

Por sua vez, em Shemót/Êxodo 31:12-17 a Torá diz claramente que o sétimo dia judaico é um dia para a festividade exclusiva para o povo judeu.

 

“12. D’US disse a Moshé

13. para falar aos israelitas e lhes dizer: Devem todavia cumprir os MEUS shabatót. É um sinal entre EU e vocês por todas as gerações, para fazer com que [os povos] compreendam que EU, D’US, os estou fazendo santos.

14. (Por conseguinte,) cumpram o Shabát como algo sagrado para vocês. Todo aquele que fizer trabalho (durante a festa do Shabát) será cortado espiritualmente de seu povo, e por conseguinte, todo aquele que o viole será condenado à morte.

15. Façam o seu trabalho durante os seis dias da semana, mas façam no sétimo dia [a festa do] Shabát de Shabatót, [uma festa] sagrada para D’US. Quem fizer qualquer trabalho no sétimo dia será condenado à morte.

16. Os israelitas, deste modo, farão o Shabát, e o dia de fazê-lo será um dia de repouso por todas as gerações, como pacto eterno.

17. É um sinal entre EU e os israelitas de que durante os seis dias da semana D’US fez o céu e a terra, mas no sétimo dia deixou de trabalhar e retirou-SE para o espiritual.”

 

Rabi Ráshi, um dos principais comentaristas da Torá, explica sobre o versículo 13 acima que a idéia de “um sinal” é que é uma mostra da grandeza do povo judeu que D’us lhes legou o Shabát. Logo ele explica que fazer com que compreendam se refere a que todas as nações do mundo saibam queEU, D’US, os estou fazendo santos“, ou seja, que D’us santifica o povo judeu com o Shabát.

Assim também todas as festividades mencionadas na Torá são sinais do vínculo entre o povo judeu e Hashém e se aplica à mesma lei [explicada por Rabi Maimônides,] de modo que os gentios não devem observar essas festas.

As exceções a esta regra são as festas do Rósh Hashaná, quando comemoramos a criação da humanidade — de todos os seres humanos —, e Ióm Kipúr, o dia da expiação.

O Talmúd (Rosh Hashaná 16a) explica que Rósh Hashaná é o dia do Julgamento Divino para todos os seres humanos e Ióm Kipúr, o dia da expiação, é o dia em que é selado esse julgamento. Daqui surge que estas duas festas têm relação com os gentios também.

No entanto, essa relação não é com os preceitos específicos de cada uma destas festas, como escutar o som do Shofár [e quanto mais tocá-lo] no Rosh Hashaná e jejuar no Ióm Kipúr, mas com o conteúdo conceitual da festa: Rosh Hashaná como o dia do julgamento e da aceitação de Hashém como REI sobre toda a criação e Ióm Kipúr como o dia da expiação das transgressões e do perdão divino.

A forma adequada que um gentio pode passar estes dias é recitando salmos. Todos os salmos. Em Ióm Kipúr pode-se adicionar, em algum momento do dia, uma confissão dos pecados do ano anterior, e inclusive de anos anteriores. Mas não como uma obrigação.

Rabino Tuvia

 

© Rabi Tuvia
© Projeto Noaismo Info: traduzido do espanhol por © Projeto Noaísmo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Padrão
A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo

A existência de um povo que prova a existência de D’us

Você já parou para pensar no como e no por que o povo judeu existe até hoje (existe há 4.000 anos)?

 

É a existência de um povo que prova a existência de D’us.

 

Veja em

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/04/22/site-bnei-noach-o-povo-de-dus/

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

Padrão
Bnei Noach

Uma Mensagem do Rabi Eli Levy

Uma Mensagem do Rabi Eli Levy (Chabad)

 

A fé da liberdade

 

Estimados Leitores:

Estamos a poucos dias da festividade judaica de Pêssach, a festa da liberdade.

Pêssach também é chamado Chag Hamatsót, a festa de matsá.

Esse biscoito seco que nos recorda anos de escravidão e séculos de exílio. O pão da aflição e o pão da fé.

Qual é a relação entre a liberdade e a fé?

Escravos do Faraó fomos e passamos a ser escravos de Hashém.

[O que hoje aprendemos disto é que] o Faraó é o mundo cruel, a dura lei da rua, a lei do mais forte. A servidão a Mitsráim são as tentações que nos dominam, as preocupações que não nos deixam dormir, os problemas que não podemos superar.

Quem é escravo de Hashém tem fé absoluta que tudo vem de Hashém. Quem tem fé não tem preocupações, tem esperanças, não tem problemas, tem desafios, não tem tentações, tem superações. Quem tem fé vê na fria estrada uma oportunidade para trazer luz e calor, vê no mundo cruel uma chance para melhorá-lo.

A “matsá” da fé é a que nos dá a força para sermos realmente livres.

Por Rabi Eli Levy
© Jabad.com (Chabad)

Traduzido do espanhol por Projeto Noaismo Info: © Projeto Noaismo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Padrão
A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo, PDF

Shavuot em pdf

CURIOSIDADES

 

Baixe

Shavuot I: O Que Shavuot Comemora? e O Eterno Impacto do Maamad Har Sinai (a entrega da Torá no Har Sinái)

http://www.morashasyllabus.com/Portuguese/class/Shavuot%20I.pdf

 

Shavuot II: Os Dez Mandamentos, os Preparativos para Shavuot, Meguilat Ruth e os Costumes de Shavuot

http://www.morashasyllabus.com/Portuguese/class/Shavuot%20II.pdf

 

Shavuót é a Festa Judaica da Revelação da Torá. É verdade que suas particularidades dizem respeito apenas aos integrantes de Israel, porém, o evento do Har Sinái foi um momento único na História da humanidade com implicações para todas as pessoas do mundo.

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

Padrão
A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Judaísmo

O Povo de D’us

Mensagem_Papa_Pessach

Carta do Papa Francisco de 25/3/2013

O Povo de D’us

 

Quem é o Povo de D’us?

 

Todas as religiões que dizem acreditar em D’us também são unânimes em dizer que D’us tem um Povo. Quem é o Povo de D’us?

Os católicos dirão que são eles. Os ortodoxos dirão que são eles. Os evangélicos dirão que são eles. Os messiânicos dirão que são eles. Os espíritas dirão que são eles. Os muhammadistas dirão que são eles. Na verdade, todos os povos são de D’us (não as suas religiões — as religiões das nações do mundo). Mas D’us também criou e escolheu um Povo para dar testemunho DELE (i.e., de SUA existência) e ensinar sobre “ELE” a todos os outros povos. Ninguém menos que o Papa Francisco responde a esta pergunta. Ele reconheceu e admitiu duas vezes por ocasião da Festa de Pêssach*:

 

Em 25 de março de 2013, o Papa Francisco escreveu para o líder da comunidade judaica de Roma, Rabi Riccardo Di Segni, dizendo:

“O Onipotente, que libertou o Seu povo da escravidão do Egito para guiá-lo até à Terra Santa, continue a libertar-vos de todo o mal e vos acompanhe com a sua bênção.”

 

E em 21 de abril de 2016, o Papa Francisco novamente escreveu para o rabino-chefe de Roma, Riccardo Di Segni, dizendo semelhantemente à primeira vez:

“que o Onipotente libertou o Seu amado povo da escravidão e o conduziu à Terra prometida.”

 

* Infelizmente desde então, o papa Francisco não tem mais admitido que o povo judeu é o Povo de D’us, o povo que ELE libertou da escravidão no Egito.

 

Em toda a História da Humanidade, somente um povo foi libertado por D’us da escravidão do Egito e conduzido por “ELE” à Israel, celebrando esses acontecimentos todos os anos, por mais de 3300 anos, na Festa de Pêssach:
O POVO JUDEU.

Assim, o Povo Judeu, SIM, são as Verdadeiras Testemunhas de Y-H-V-H (HaVaYaH [D’us]) (veja o Profeta Judeu Isaías [Ieshaiáhu] 42:1,5,6; 43:1,5,6,10,11,12,15,16,17,18,19,20,21; 44:1,2,6,7,8,21).

 

(Em 2019, Pêssach é de 19 de abril após o pôr do sol a 27 de abril antes do pôr do sol.)

 

Foi profetizado que toda a Humanidade reconhecerá e admitirá que D’us existe e que D’us tem um povo e que este povo é o Povo Judeu (veja o Profeta Judeu Zacarias [Zechariá] 8:23*). Essa profecia está se cumprindo em nossos dias, bem diante de nossos olhos.

 

* Veja várias traduções desse versículo:
http://abibliajudaicanoseucontextojudaico.blogspot.com.br/2010/10/deus-esta-contigo-com-quem.html?m=1

 

Aqueles que agora estão abandonando suas religiões para servir O D’us de Israel em parceria com o SEU Povo, o Povo Judeu, são os chamados Bnei Noach (expressão hebraica que significa Filhos de Noá (Noé)) ou, os Noaítas.

 

Fontes:

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/vaticano/vaticano-papa-sauda-comunidade-hebraica-pela-celebracao-da-pascoa/

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/vaticano/vaticano-papa-sauda-judeus-na-celebracao-da-pascoa/

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Padrão