Salmos em tempos de guerra

O Site Bnei Noach
Projeto Noaismo Info
(a-fe-originalnoaismo.info)
APRESENTA

Perguntas e Respostas

 

Tehilim (Salmos) para se recitarem em tempos de guerras

 

Pergunta:
Neste tempo de aflição mundial devido à guerra entre a Rússia e a Ucrânia, quais Salmos devem ser recitados para isto?

Resposta:
O Rebe responde:

“Durante a Segunda Guerra Mundial, o Rebe anterior (Rabbi Yosef Yitzchak de Lubavitch) pediu que os Salmos 20, 22 e 69[*] fossem recitados diariamente. Tal acréscimo seria apropriado neste momento.”

Traduzido do inglês por Projeto Noaísmo Info: © Projeto Noaismo Info

[* Estes Salmos encontram-se abaixo (em 26/02, atualizados os 22 e 69).]

© Lubavitcher Rebe, o Rav Menachem Mendel Schneerson
© Projeto Noaismo Info

 

SALMO 20

Para o Diretor do Coro, um salmo por David. Que Hashem te responda em um dia de angústia; que O NOME do D’US de Yaacóv (e de Nôach) te fortaleça. Que desde o SEU Santo Templo (em Yerushaláim, o Bet Hamicdásh) ELE te envie tua ajuda, e desde Tsión te proteja. Que ELE SE lembre de todas as tuas (orações em batalha como se elas fossem) oferendas (no Bet Hamicdásh) e que ELE sempre aceite-as favoravelmente. Que ELE te conceda os desejos do teu coração e realize todos os teus planos.
Cantemos todos nós louvores a D’US por tua vitória (no dia de angústia) e no NOME de nosso D’US ergamos nossos estandartes; que Hashem atenda todos os teus pedidos.
Agora eu sei que (em todas as dificuldades) foi Hashem QUEM salvou o SEU servo; ELE lhe respondeu dos SEUS santos céus com poderosas vitórias de SUA destra.
(Para vencer batalhas) algumas nações confiam nas suas carruagens e algumas nos cavalos, mas nós (confiamos) somente no PRÓPRIO D’US — invocamos O NOME de Hashem, nosso D’US. Elas (tais nações) caem e sucumbem, mas nós nos levantamos e nos mantemos firmemente erguidos (sobre elas).
Salva-nos, ó Hashem; O REI nos atenderá no dia em que clamarmos.

 

SALMO 22

Para o Diretor do Coro, no “Aiélet Hasháchar” (instrumento musical), um salmo por David.
Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste (a mim, Israel)? Por que deixaste tão distante minha salvação e ignoraste meu gemido angustiado? Ó D’US meu, de dia clamo e TU não me escutas; e à noite não silencio (este clamor). Mas TU és O SANTO, e a TI se dirigem os louvores de Israel!
Em TI confiaram nossos patriarcas [do povo judeu], confiaram plenamente e TU os resgataste. Clamaram a TI e foram salvos; em TI acreditaram e não ficaram desapontados. Mas quanto a mim (Israel), sou como um verme e não como um homem; escárnio da humanidade, desprezo das nações. Zombam de mim os que me observam, riem e mexem ironicamente (para os lados) suas cabeças, dizendo: “Ele confia em Hashem, (ele confia) que ELE o redimirá, (então) que ELE lhe traga salvação, já que ele NELE se compraz.” Mas TU me tiraste do ventre materno e me fizeste sentir seguro sobre o peito de minha mãe. Desde meu nascimento, em TEUS braços fui entregue; mesmo antes de nascer, já eras meu D’US.
Não TE afastes de mim, porque muito próxima está a aflição e não há quem me proteja, senão TU.
Touros furiosos (reinos poderosos) me cercaram, touros do Bashan me rodearam. Abriram contra mim suas bocas como um leão que estraçalha e ruge. Sinto-me como água derramada que não pode voltar a seu recipiente, meus ossos fraquejam; meu coração parece ser de cera, de tal forma se derrete dentro de mim. Minha força secou como a argila, minha língua está colada ao paladar e (todas estas coisas são como se) TU tivesses me colocado no pó da morte (sepultura). (Pessoas como) cães (raivosos) me cercam, uma turba de perversos me rodeia, atacam meus pés e minhas mãos como se fora um leão. Verifico como estão meus ossos enquanto eles me observam e tripudiam. Minhas roupas, entre si repartem, minhas vestimentas sorteiam. Mas TU, ó Hashem, eu te peço, não TE afastes de mim; ó minha Força, apressa-TE e vem em meu auxílio! Salva minha alma da espada, minha vida das presas destes cães (destes viciosos acusadores). Livra-me da boca do leão, resgata-me dos chifres dos Remím (touros, simbolizando os amoritas, inimigos de Israel). Então, a salvo, proclamarei TEU NOME a meus irmãos e louvarte-TE-ei em meio à multidão, dizendo: “Vós que sois a semente de Jacob, honrai Hashem! Reverenciai-O todos vós, descendentes de Israel. Porquanto ELE não desprezou nem ignorou a angústia do aflito e dele não escondeu SUA face e atendeu a sua prece.”
Graças a TI poderei proclamar meu louvor às multidões; cumprirei minhas promessas (ou votos que fiz na minha aflição) na presença daqueles que O temem (para divulgar esses milagres).
(Na era do Mashíach) os humildes hão de comer e se fartar; os que buscam Hashem hão de louvá-LO e vida perene terão seus corações. Dos confins da Terra, todos a TI, Hashem, se voltarão com compreensão e ante TI se curvarão todas as famílias das nações. Pois (eles verão que) só de Hashem é a realeza e SEU é o domínio sobre todos os povos. Comerão todos os povos a fartura da terra e ante ELE se prostrarão; reverenciá-LO-ão os que retornam do pó, os que não podem manter viva a sua própria alma.
Da descendência dos que O servem, de geração em geração, será relatada a magnificência da glória de Hashem. Anunciarão às gerações vindouras a bondade de seus feitos.

 

SALMO 69

Para o Diretor do Coro, sobre o (instrumento musical) “Shoshaním”, um salmo por David.
Salva-me, ó D’US, pois as águas (os sofrimentos do exílio) subiram tanto que alcançaram até a minha alma. Fui tragado por um lamaçal profundo onde não consigo apoiar os pés; um turbilhão me arrastou para as profundezas. De tanto clamar por socorro, se ressecou minha garganta, se embaçaram meus olhos e se fatigou meu corpo, enquanto aguardo pela ajuda de meu D’US. Mais numerosos que meus cabelos são os que sem motivo me odeiam, e, continuamente, multiplica-se o número dos que me querem destruir, meus adversários empenhados em falsidade; (e a esses) inimigos caluniadores terei de pagar o que alegam (que eu roubei) sem que eu nunca os tivesse roubado.
Ó D’US, bem conheces minhas fraquezas e de TI não estão ocultas minhas culpas. Entretanto, não permita que eu venha a ser a causa de humilhações para aqueles que têm fé em TI, ó meu D’US, O MESTRE das Legiões. Que não sejam por mim envergonhados os que TE procuram, ó D’US de Israel!
Por amor a TI suportei ultrajes e meu rosto, de vergonha, está tomado. Perante meus irmãos (Yishmael e Essav) pareci ser um estranho (por causa da minha lealdade a TI), um estrangeiro entre os filhos de minha mãe. Consumiu-me o fervor que dedico à TUA Casa (o Templo Sagrado), e sobre mim recaíram os vitupérios dos que TE insultam (em outras palavras, na época do Templo, as nações viram o amor que TU nos (a Israel) mostraste quando SUA Casa ainda existia e me (a David) invejaram). Com jejum e lágrimas afligi minha alma, e isto mais os afrontou. Com uma mortalha me cobri (em arrependimento) e perante eles me tornei seu modelo (de ridículo). Murmuram contra mim os (juízes) que se reúnem nas portas da cidade, e tema de zombaria me tornei para as canções dos bêbados.
Que seja uma hora favorável aquela em que a TI dirijo minha prece, ó Hashem. Escuta-me, ó D’US, com a imensidão de TUA misericórdia e responde-me segundo a bondade de TUA salvação.
Resgata-me do lamaçal (do exílio) para que eu nele não pereça; salva-me de meus detratores e das profundezas das águas. Que eu não seja arrastado por seu turbilhão, nem tragado pelo abismo, e que tampouco se feche sobre mim a boca do poço de angústia onde caí. Responde-me, ó D’US, pois incomensurável é TUA benevolência; volta-TE para mim com a grandeza de TUA magnanimidade e não ocultes de TEU servo TEU semblante; responde-me de pronto, pois estou muito angustiado. Faze com que de TI se aproxime minha alma, redime-a e salva-me de meus inimigos (para que não se sintam triunfantes), pois sabes da vergonha e do infortúnio que me fazem passar.
Partiu-se meu coração ante tanta humilhação e me sinto gravemente enfermo. Procurei alguém que se compadecesse de mim e me confortasse, mas a ninguém encontrei. Ao contrário, põem veneno em meu alimento e vinagre me deram para minha sede. Que, em retribuição, se transforme sua mesa em armadilha, sua paz em emboscada. Que se turve sua vista e que trema sem alívio seu corpo. Derrama sobre eles TUA indignação e que sejam acossados por TUA ira. Que sejam destruídos seus palácios e que fiquem desertas suas tendas. Pois a nação que TU castigaste (o povo judeu), se arrogaram o direito de perseguir e se gabaram como se fossem os autores do sofrimento que provocaste.
Agrega (esta) iniquidade à sua iniquidade e que não mereçam usufruir de TUA justiça. Que tenham seus nomes apagados do Livro da Vida, e jamais sejam inscritos entre os justos. Quanto a mim, estou aflito e dolorido agora, mas TUA salvação, ó D’US, há de me elevar acima de qualquer sofrimento. Em cânticos, então, louvarei O NOME de D’US, e em meus agradecimentos O exaltarei. Serei mais prazeroso para Hashem que a mais perfeita oferenda de todo o passado.
Alegrar-se-ão os humildes (ao verem minha salvação) e animar-se-ão os corações dos que buscam a D’US, porque perceberão que Hashem ouve os necessitados e não despreza (as preces dos) alquebrados. Louvá-LO-ão os Céus e a Terra, os mares e todos os seus habitantes, porquanto D’US redimirá Tsión e reedificará as cidades de Yehudá (Judá). Nela habitará seu povo (de Israel) em tranquilidade e segurança, e a seus descendentes (de Avrahám, Yitschák e Yaacóv) a entregarão por herança.
Sim! A semente dos SEUS servos (patriarcas) a herdarão e nela habitarão os que amam o SEU SANTO NOME.

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Projeto Noaismo Info

© Projeto Noaismo Info (Site Bnei Noach)

Por que mashíach ainda não chegou?

apresenta

No mês de aniversário do nosso Site
(05 anos)

Por que mashíach ainda não chegou?

 

“A diferença entre a Redenção e a era atual não é uma mudança no conjunto físico, mas uma mudança na nossa consciência de D’us.” — Chabad.org

 

Por Rabi Menachem Mendel Schneerson (O Rebe)

 


Trazer o Mashíach é um trabalho para cada ser humano na Terra.


 

[Se] existe em toda geração “uma pessoa dentre os descendentes de Judá que é digna de ser o Mashíach de Israel” (Comentário de Rav Ovadiá de Bartenura ao Livro de Rute)[, e se], como escreve o rabino Moshe Schreiber: “Desde o momento da destruição do Bet Hamicdásh, tem nascido alguém que em sua justiça é digno de ser o redentor (de Israel)”, e caso não houvesse impedimentos e obstáculos que impedissem sua vinda, ele já teria vindo[, e também se] nossos Sábios declararam [no Talmud]: “Todos os tempos designados para a vinda de Mashíach já passaram” (Sanhedrin 97b), surge uma pergunta surpreendente:

Como é possível que, apesar de todos esses fatores, Mashíach ainda não tenha chegado? Isto está além de toda compreensão possível.

Considerando que estarmos no exílio por mais de [2000] anos pode causar desânimo e desesperança; por que Mashíach ainda não chegou?! Portanto, saibam: a geração atual [é] a última geração do exílio e a primeira geração da Redenção.

Nossa tarefa de transformar o mundo em uma morada para D’us e provocar a chegada de Mashíach também inclui influenciar os não-judeus a manter suas mitsvót, as Sete Leis Noaíticas. Todo judeu é obrigado a fazer isso. Surge uma pergunta, já que esta lei está em vigor [desde a entrega da Torá no Sinai], por que apenas recentemente ela tem sido enfatizada, e com tanta frequência?

Há duas explicações sobre por que agora as Sete Mitsvót devem ser difundidas. A razão simples é que em gerações anteriores era impossível influenciar os não-judeus neste sentido. Qualquer tentativa de influenciar um não-judeu em assuntos religiosos colocaria a sua vida em perigo. E mesmo quando já não era mais uma questão de vida ou morte, continuava sendo perigoso o suficiente ao ponto de que as pessoas (judias) estavam isentas da obrigação de chegar até os Bnei Noach (descendentes de Noá).

Hoje, no entanto, vemos que o mundo tem mudado drasticamente. Não só é possível influenciar os não-judeus sem se colocar em perigo, mas eles ficam realmente agradecidos. Quando se lhes notifica que existe um “Ser” ONIPOTENTE e que eles podem ajudar a tornar o mundo um lugar melhor mantendo as Sete Mitsvót, eles vêem que você se preocupa com o bem-estar deles. Frequentemente, eles até mesmo mostram sua apreciação.

Além disso, o Rabi Maimônides usa a expressão “‘lakuf’ (‘influenciar à força’) todos os habitantes do mundo a aceitarem os mandamentos noaíticos.” Embora obviamente deva-se fazer isto de uma maneira agradável, gentil e pacífica, ainda assim deve ser feito com persistência. Se você já tentou várias vezes, mesmo assim tente novamente de todas as formas. Com frequência vemos que, ainda que às vezes se fala às pessoas cinco vezes, elas não mudam até ouvir uma sexta vez!

Alguém pode querer reclamar: “e isto é tudo o que nos falta? Há tantas coisas que precisam de nossa atenção!”

Obviamente, esta reclamação não pode ser levada a sério. Pelo mesmo raciocínio, você poderia acabar com todas as 613 mitsvót [judaicas], D’us nos livre! Peça a alguém para fazer uma mitsvá, e ele pode responder: ‘Mas há algo mais importante que estou fazendo!’ E isto não é apenas uma resposta teórica — é algo que vemos no dia-a-dia. Com este raciocínio, uma pessoa poderia até dizer: ‘Mas estou fazendo mitsvót ajudando outros judeus — não tenho tempo para pensar em D’us!’ Portanto, devemos nos preocupar com todas as mitsvót — neste caso, divulgar os mandamentos noaíticos.

Esta é a razão simples da atual ênfase na divulgação das Sete Mitsvót, mas há uma razão mais profunda, ligada à idéia de que o mundo está mudando.

Vemos mudanças radicais no mundo de hoje. Nunca vimos tais extremos — tanto no positivo quanto no negativo.

Nas relações interpessoais, há discussões violentas ocorrendo entre pessoas que parecem não ter nem mesmo o potencial para a controvérsia. Do mesmo modo no lado bom: há atos de caridade e bondade que estão sendo feitos de uma maneira sem precedentes nas gerações anteriores. As pessoas estão dando enormes quantias de caridade e mostrando uma absoluta abnegação pelo bem-estar dos outros. Qualquer um que pensar no que está acontecendo no ambiente à sua volta vai perceber isto.

Apesar do fato do mundo estar passando por tais mudanças, o Mashíach ainda não chegou. [Como já foi falado,] nos tempos do Talmud nossos Sábios já diziam: “todos os prazos para a vinda do Mashíach já passaram.” Ao longo das gerações, líderes judeus como Rav Saadia Gaon, o Rambam e muitos outros falaram de prazos posteriores. Embora não tenham sido tão divulgados, o Alter Rebe e o Rebe Rashab também falaram de prazos. Mas uma nova era começou quando o Rebe Anterior proclamou: ‘Faça teshuvá agora e Mashíach virá agora’. Ele mandou imprimi-la e divulgá-la, e apesar da amarga oposição, repetiu-a continuamente.

Já se passaram décadas após estas proclamações e, no entanto, o Mashíach ainda não chegou. Pesquisei e procurei uma explicação para isto, e a única resposta que encontrei é a seguinte. Nas gerações anteriores, era possível confiar nos esforços do Nasi (Líder da geração). Entretanto, depois de tanto tempo, quando até mesmo a proclamação do Rebe Anterior passou e Mashíach ainda não chegou, a única possibilidade é que cada judeu deve estar envolvido em trazer a redenção.

Como já passou tanto tempo, e a situação mundial até mudou para melhor (como mencionado acima) e o Mashíach ainda não chegou, a única coisa que poderia estar faltando é que todo judeu sinta que trazer o Mashíach é sua responsabilidade pessoal.

Esta é também a outra razão para a ênfase nas Sete Mitsvót. Como o mundo mudou e o Mashíach ainda não chegou, todo indivíduo (não-judeu) deve fazer todo o possível para apressar sua vinda. A vinda do Mashíach também é relevante para os gentios.

E embora haja muitas reclamações e desculpas (dos próprios judeus) sobre ser impróprio falar da vinda de Mashíach e das Sete Mitsvót: chegou a hora de preparar o mundo para o Mashíach. Isto inclui torná-lo um “lugar de estabilidade” através da divulgação das Sete Mitsvót.

Nossos esforços para espalhar a consciência de D’us em todo o mundo e fazer com que essa consciência permeie cada indivíduo precipitará a chegada da era em que “a Terra inteira estará preenchida com o conhecimento de D’us (Havayáh) como as águas cobrem o mar.” (Isaías 11:9)

Agora, esta transição na composição espiritual do mundo não acontecerá instantaneamente [e nem magicamente]. Em vez disso, será o resultado de séculos de esforços da parte do ser humano para aumentar a consciência de D’us dentro de seu próprio mundo pessoal de pensamento e sentimento. De fato, a paz e a prosperidade do tempo da era de Mashíach (apenas) virão como resultado desse aumento da consciência da DIVINDADE [que, como já explicado, somente se concretizará com o ensinamento das Sete Mitsvót para todas as pessoas do mundo].

Que seja a vontade de D’us que todo mundo (judeus e não-judeus) comece a se envolver ativamente em trazer o Mashíach ainda mais cedo, com todos estes momentos somando-se à redenção imediata.

O que mais posso fazer para motivar todo o povo judeu a realmente provocar a vinda de Mashíach? Tudo o que tem sido feito até agora tem sido em vão. Pois ainda estamos no exílio; além disso, estamos em um exílio interno no que se refere ao nosso próprio serviço a D’us.

Tudo o que eu posso fazer é entregar o assunto a vocês. Agora, façam tudo o que puderem para trazer o Mashíach, aqui e agora, imediatamente.

Eu fiz tudo o que pude; de agora em diante, vocês devem fazer tudo o que puderem. Que seja a vontade de D’us que haverá um, dois ou três entre vocês que apreciarão o que precisa ser feito e como precisa ser feito, e que vocês possam ser realmente bem sucedidos e tragam a verdadeira e completa redenção. Que isto se realize imediatamente, em um espírito de felicidade e com alegria de coração.

Por Rabi Menachem Mendel Schneerson (o Rebe) — o líder espiritual da nossa geração

 

© Rabi Menachem Mendel Schneerson
© Projeto Noaísmo Info
© Traduzido do inglês por Projeto Noaísmo Info

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

© Projeto Noaismo Info (Site Bnei Noach)