Bnei Noach, PDF

As Sete Leis de Noé; O Movimento Bnei Noach; A Espiritualidade dos não-judeus – PDF

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

Nas palavras transliteradas, “CH” deve ser pronunciado como “rr” e “SH” como “ch”.

 

# As Sete Leis Universais; # As Sete Leis de Noé; # As Sete Leis dos filhos de Noé; # Filhos de Noé; # Bnei Noach; # Movimento Bnei Noach; # Noaísmo; # Código Noaítico; # Pacto Universal; # Mitsvót Universais; # Mandamentos para os não-judeus; # Torá para não-judeus;

 

Por Chabad e Chabad Lubavitch e Chabad.org
Compilação: Noaismo.info
(Produção e Tradução: Noaismo.info)


Qualquer um que quer servir D’us deve fazê-lo nos termos DELE


 

Em homenagem ao Rebe

 

Você não é judeu?

Há tanta coisa que você precisa fazer para tornar este mundo um lugar melhor!

Na tradição judaica, a observância dos 10 Mandamentos é exigida somente dos judeus. Espera-se que todas as demais pessoas (i.e., todos os não-judeus) observem as “Sete Leis de Noá” — os valores universais da Torá. Estas Leis Divinas (algumas das quais se sobrepõem aos 10 Mandamentos) fornecem a base para um mundo civilizado, relações bem-sucedidas e desenvolvimento espiritual. Infelizmente, estas Leis têm sido amplamente desconhecidas há séculos. Por isso, o Rebe (Rabi Menachem Mendel Schneerson) desenvolveu uma campanha muito interessante – a campanha das Sete Leis dos Descendentes de Noá ((Noé). Desde então,) o Rebe passou a falar sobre a responsabilidade (dos judeus) de comunicar* os ideais espirituais universais, tal como expresso nas Sete Leis Noaíticas, para todas as pessoas no mundo. A maioria dos não-judeus, embora familiarizados com os Dez Mandamentos, nunca tinha ouvido falar das Sete Leis dos noaítas. Recentemente, pessoas em todas as partes do mundo começaram a estudar as Leis Divinas, e há um interesse renovado no papel desempenhado por todas as nações na Redenção Messiânica.

* Informar e educar sobre as Leis Noaíticas.

É importante ter em mente que o judaísmo não solicita convertidos. A razão para isto é que no judaísmo (ao contrário de todas as religiões), os não-judeus (ou gentios) não precisam se converter a fim de conseguir a “salvação”.
Quem quer que mantém o Código Noaítico – os Sete Mandamentos de Noá (veja abaixo) – é considerado um gentio justo e recebe uma porção no Mundo Por Vir – e até mesmo será ressuscitado juntamente com o povo judeu.

Deve-se recordar a todas as pessoas sobre o seu propósito original: que ele ou ela aceite e siga as orientações que foram Divinamente ordenadas para ele ou ela. Para os judeus, isto significa os 613 Mandamentos. Para os não-judeus significa as instruções originais de D’us para a humanidade: o código moral universal, o código pelo qual toda a humanidade é obrigada a viver — o Código Noaítico.

“O movimento Bnei Noach — ou noaísmo — é a mensagem universal do judaísmo, mas não é uma “religião”. Não se trata de um judaísmo simplificado para não-judeus. Antes, se trata do projeto de D’us para a civilização, uma base de sete pontos (iniciais) para a construção de uma sociedade justa, moral e ética na Terra.” — Rabi Yanki Tauber, editor de Chabad.org, no Chabad.org.

Certamente, os não-judeus devem aceitar estes Mandamentos Universais não apenas porque fazem sentido, porque eles são bons e razoáveis, mas porque eles fazem parte da Torá de D’us dada aos judeus no Monte Sinái. O CRIADOR da humanidade (foi QUEM) deu aos filhos de Noá os decretos de moralidade, conhecidos como as Shéva Mitsvót Benêi Nôach ou Sete Leis Divinas dos Filhos de Noá (veja
https://a-fe-original–noaismo.info/2019/06/01/os-tres-tipos-de-descendentes-de-noa-os-dez-mandamentos-noaiticos-as-tres-leis-devocionais-dos-noitas/  ).
O fundamento do Código Noaítico é que não existe moralidade/moral sem D’us. O humanismo não basta.
Que (saibamos que) AQUELE que criou a vida humana também estabeleceu as regras para tal vida e aplica essas regras. “Esta deve, definitivamente, ser a motivação real para a aceitação dos Sete Princípios Noaíticos, como Leis ordenadas pelo CRIADOR, para toda a humanidade.” Diz o Rebe.
No entanto, como mencionado, os não-judeus não são obrigados a se converter para obter a “salvação”.
“Todos fomos criados por D’us Todopoderoso.” Diz o Rabi Yisroel Goldstein (Chabad de Poway).

Por outro lado, se um não-judeu insiste em adotar a Judaicidade – a Identidade Judaica (que tem rituais identificadores e testemunhais, as Mitsvót Edót), ele ou ela tem todo o direito de fazê-lo, mas apenas depois de um período significativo de estudo, observação e compromisso total com a vida judaica. Este processo tem de ser conduzido sob a supervisão de um tribunal religioso judaico (Bêit Din) – ortodoxo.

Os Bnei Noach sabem que eles não são judeus, eles são admiradores não-judeus da Torá e do povo judeu (eles apoiam Israel e a comunidade judaica de todas as formas possíveis) (veja
https://a-fe-original–noaismo.info/2019/06/23/perguntas-sobre-judaismo-e-noaismo/ ).

Após o dilúvio, D’us deu para o mundo inteiro (que naquele momento era Nôach e sua família) Sete Leis Especiais, gerais. As Leis fundamentais são apropriadamente chamadas de Sete Leis Noaíticas.

As Leis dos noaítas são as seguintes:

1. Creia em D’us* (Hashém)/Não sirva ídolos
2. Respeite D’us e louve-O e não fale blasfemamente de D’us
3. Não assassine
4. Não roube
5. Não cometa adultério, incesto ou atos homossexuais
6. Não seja cruel com os animais
7. Estabeleça tribunais de justiça.

* Quando falamos em D’us, Hashém, estamos falando que D’us é um e que D’us é infinito.

Estas Leis Divinas (Mitsvót) Universais devem ser a base de toda a sociedade humana para todas as futuras gerações. Estas Leis estabelecem claramente os códigos de decência que se espera de cada ser humano.

Nossos rabinos nos ensinam que as águas do dilúvio também estão presentes em cada geração. Elas estão representadas pelas numerosas influências anti-espirituais encontradas ao nosso redor. Estas águas podem parecer muito tentadoras e boas à primeira vista, mas quando se dá um passo para trás e analisa o que está vendo, a destrutividade se torna evidente.

A arca representa diferentes coisas dependendo de quem a observa. Para o judeu, a arca é a proteção oferecida pela nossa Torá que se encontra em nossas sinagogas, escolas judaicas e em nossos lares. As paredes destes edifícios protegem-nos da destruição que se encontra no mundo lá fora.

Para os não-judeus, a arca representa a adesão estrita às Sete Leis Noaíticas. Essas Leis são instruções claras da Torá sobre quais devem ser os objetivos e as aspirações de toda a humanidade. São precisamente essas Leis que fazem todas as pessoas atingirem, de maneira explícita, seu estado predestinado de superioridade e santidade.

Qualquer que seja o grupo ao qual pertencemos, é de suma importância garantir que as paredes da nossa “arca” sejam impermeáveis. Isto significa que a humanidade deve rejeitar o secularismo (uma existência desprovida de D’us).

Por outro lado, vemos algumas pessoas que, em nome de D’us, realizam atrocidades que estão além das palavras para descrever. É precisamente por isso que as Sete Leis Divinas são tão importantes. Qualquer um que quer servir D’us deve fazê-lo nos termos DELE. Quando alguém usa o nome de D’us para o mal, ele de fato profana o Santo Nome. Isto é muito odioso aos olhos de D’us.

Durante estes tempos difíceis, precisamos encontrar refúgio em nossas arcas pessoais, comunitárias e até nacionais. Devemos nos certificar de que as influências negativas sejam bloqueadas de forma segura. Melhor ainda, devemos permitir que a luz dos iluminados brilhe e transforme a escuridão circundante em uma luz que dá vida!

Nós podemos, e devemos, fazer o que ainda tem de ser feito.

Todas as nações devem observar os Mandamentos ditados a elas pela Torá, as 7 Leis Universais de moralidade, com o fim de obter a paz definitiva, a unidade entre todas as nações, o respeito por toda a humanidade e a apreciação de um D’us universal.

Isto transforma o mundo em um belo lugar onde D’us escolherá habitar de maneira revelada, muito em breve.

 

Por Chabad e Chabad Lubavitch e Chabad.org
Compilação: Noaismo.info
Produzido e Traduzido do inglês e do espanhol por Noaismo.info.
© Chabad; © Chabad Lubavitch; © Chabad.org

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

BAIXE ESTA MATÉRIA EM FORMATO PDF EM:
https://www.4shared.com/office/a-eYhrIBee/As_Sete_Leis_de_No__O_Moviment.html

 

Eu não sou judeu, mas eu realmente acredito na Torá. Como posso aprender e fazer mais?

Acessando:

https://a-fe-original–noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/pagina-de-posts/

Padrão
Noaítica ou Noaítico

Leis Noaíticas

B”H

 

Leis Noaíticas

 

As Leis Noaíticas* ou As Leis Noaicas (As Sete Leis Universais)

 

Por Noaismo.info

 

* Entre os Benêi Nôach brasileiros tornou-se comum o uso dos termos “noético” e “leis ‘noéticas'” como se estas palavras se referissem à Noá (da história bíblica do Dilúvio) ou aos descendentes de Noá ou às Mitsvót (Leis Divinas) Universais.

Acontece que esses Benêi Nôach (e também até mesmo rabinos) usam essas palavras sem saberem que elas não existem (no sentido em que usam-na). Na verdade estas palavras existem, mas elas não tem absolutamente nada a ver com Noá (Nôach) ou com as mitsvót universais.

Vejamos o que significam as palavras “noética” e “noético”.

 

Dicionário Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, Editora Nova Fronteira, 1975:

“Noético. Do GREGO noetikós, ‘inteligente’. Adjetivo. Filosofia. 1. Relativo à NOESE. 2. Relativo ao pensamento.”

 

Veja que “noético” é uma palavra que vem do grego e não do hebraico, e que é relativa à noese e nao à Noá (Nôach). O que é NOESE?

“Noese. Do GREGO noésis, ‘pensamento’, ‘inteligência’. Substantivo feminino. Filosofia. Na fenomenologia, aspecto subjetivo da vivência, constituído por todos os atos que tendem a apreender o objeto: o pensamento, a percepção, a imaginação, etc.”

 

Portanto, NOÉTICO vem de NOESE, e não de Noá, personagem da história bíblica.

E as Leis (Mitsvót) dadas por D’us para Noá (Nôach) e para toda a sua descendência NÃO são e NÃO se chamam “leis noéticas”, pois…

“Noética. Feminino substantivado de noético. Substantivo feminino. Filosofia. Estudo das leis gerais do pensamento.”

 

Portanto, como mostra o Dicionário, “noético” e “noética” (existem sim, MAS) NÃO têm absolutamente nada a ver com o indivíduo da história bíblica, Noá, e sim tem a ver é com a NOESE (e com a língua grega e com a filosofia).

 

Alguma vez você já olhou no dicionário o que é ou o que significa noético?
As palavras “noético” e “noética” no dicionário.

 

Para referir-se às Leis Divinas Universais ou Leis de Noá (Nôach), deve-se dizer LEIS NOAÍTICAS (dos noaítas/dos Benêi Nôach/dos Filhos de Noá) ou LEIS NOAICAS (de Noá). Portanto, as palavras Noaítico e Noaico, sim, tem a ver com Noá, personagem bíblico do evento do dilúvio.

Como dizemos “As Leis Mosaicas” ou “As Leis Judaicas” ou “As Leis Toraicas”, então dizemos AS LEIS NOAICAS.

E assim como é tão comum as palavras sinaítico, israelítico, levítico, semítico, toraítico, etc., então dizemos  noaítico (por exemplo: AS LEIS NOAÍTICAS).

Simples assim.

Em inglês: “noahitic”/”noaitic” e “noahic”/”noaic”.

Por exemplo, o livro de Halachá* em inglês, “Mishneh Torah, Foreign Worship and Customs of the Nations”, do Rambam (Rabi Maimônides), no capítulo 10, diz:

“… he must not pass through Eretz Yisrael before he obligates himself to live up to the seven Noaitic commandments,” e ainda, “if an idolater obligated himself to observe the Seven Noaitic commandments he is a sojourning alien.”

 

Noaítico em inglês no Mishneh Torah do Rambam

 

Como está muitíssimo evidente no texto, veja as duas ocasiões em que ocorre a palavra noaitic, exatamente tratando dos “Seven Noaitic commandments” ou em português CORRETO, as “Sete Leis Noaíticas” (alternativamente, os Sete Mandamentos Noaíticos).

 

* Halachá: a parte do Talmúd que constitui lei e que os judeus são obrigados a cumprir.

 

Os judeus e Benêi Nôach brasileiros que usam EQUIVOCADAMENTE a palavra “noético” deveriam pensar, por exemplo, o que será que significa “Ciência Noética” e “cientistas noéticos”. Será que “Ciência Noética” significa a ciência que estuda o Noá do relato do dilúvio ou que estuda os descendentes dele ou que estuda as mitsvót universais? Lógico que não. De modo algum. Será que “cientistas noéticos” significa os cientistas que seguem as Leis de Noá? Lógico que não. De modo algum. E o que será que é mito noético? Será que trata-se de considerar que o Noá da bíblia (Torá) é um mito? Queridíssimos leitores, por favor, JAMAIS pensem ou digam um dislate desse. Como vimos acima, noético e noética referem-se à noese.
E como também vimos acima, o que tem a ver com o Noá da história do dilúvio, o que refere-se à Noá, o que é relativo à Noá e aos seus descendentes e às mitsvót universais são as palavras NOAÍTICO e NOAÍTICA ou noaico e noaica.

Em inglês, assim como no português, obviamente existe a palavra “noético”: Noetic. E, Noetic (inglês), obviamente, como já vimos, não tem nada a ver com Noá, não se refere à Noá, não é derivada de Noá. Noetic vem de noēsis. No entanto, Noaitic (Noa+itic)  vem sim de Noá (Nôach/Noah) – em português, Noa+itico.

Até existe um site chamado noetic.org.  Você acha que esse site trata ou fala de Noá e seus descendentes e das Leis Divinas Universais – das Mitsvót Universais? Lógico que não. De modo algum. Simplesmente porque noetic não tem relação alguma com Noá.

Esperamos que a partir de agora este assunto esteja bem clarificado para todos.

Veja também o Dicionário online de Noaismo da Língua Portuguesa:

https://a-fe-original–noaismo.info/2019/04/12/dicionario-do-noaismo/

 

O que são as Leis Noaíticas?

São as mitsvót (leis ou mandamentos) que O PRÓPRIO D’us ordenou à Adám e Chavá (Adão e Eva) e também à Nôach (Noá) e Naamá e sua família ao sairem da arca. São Leis Divinas obrigatórias para toda a humanidade em todos os tempos.

(Usa-se como sinônimos de Leis Noaíticas os termos Pacto Noaítico e Código Noaítico.)

A questão é que D’us não deu religiões para a humanidade. D’us deu, sim, uma “religião” mas não para todos os povos, e sim, para um povo específico, a religião de um povo, o povo de uma religião, o judaísmo para o povo judeu. D’us não deu religião para os não-judeus. O que D’us deu para os não-judeus foi um Código de Conduta Universal. Este é o Código Noaítico. E este Código de Conduta Universal, o Código Noaítico, são exatamente as Leis ou Mandamentos – Mitsvót – que O PRÓPRIO CRIADOR deu para toda a SUA Criação (todos os humanos).

Daí que:

Benêi Nôach não é religião;

Benêi Nôach não é “judaísmo” para não-judeus;

Benêi Nôach não é judeu.

É verdade que a Fé Judaica e a Fé Noaítica são uma e a mesma, porém, são dois Caminhos Espirituais (práticas/vivências) distintos.

 

Quais são as Leis Noaíticas?

As Leis Noaíticas são:

1. Creia em D’us.
Não adore ídolos.

A essência das Sete Leis Universais é o reconhecimento do ENTE SUPERIOR que criou o Universo. Substituir o culto de D’us pelo culto de entidades finitas, seja a de si próprio ou de outros seres [humanos, espíritos, anjos, animais] solapa qualquer padrão de comportamento ético e moral. A aceitação de D’us e das instruções de D’us é mais do que um simples ato de fé. Implica ser uma pessoa melhor, centrada em D’us ao invés de em si mesmo e, assim, gera um ambiente moral.

 

2. Respeite O CRIADOR.
Não blasfeme.

Este princípio também está envolto em implicações práticas importantes. Tudo na Criação reflete a “mão” do CRIADOR. Degradar ou diminuir as criaturas de D’us, portanto, significa blasfemar e degradar O PRÓPRIO D’us. Assim, devemos respeitar todos os humanos porque todos [os humanos, sem exceção,] são criados por D’us na Divina imagem e semelhança. Devemos abster-nos de calúnias e boatos e de insultar ou prejudicar nossos semelhantes.

 

3. Respeite a Vida Humana.
Não assassine.

O mandamento proibindo o assassinato está explicitamente declarada a Noá por D’us: “Todo aquele que derrama o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado, pois ELE [D’us] fez o homem à imagem de D’us” (Gênesis 9:6). Estando expressa também é uma afirmação da qualidade transcendental do ser humano e da santidade da vida humana.

 

4. Respeite a Família.
Não cometa atos sexuais imorais.

No contexto histórico, qualquer sociedade que encorajou ou perdoou a imoralidade [homossexualidade, incesto, bestialidade, adultério, estupro] teve vida breve. Mais notavelmente a Grécia antiga, que dominava o mundo e depois foi sumariamente destruída no seu auge. Não é de admirar que todo o mundo esteja tão escandalizado com a atitude permissiva da sociedade e a proliferação da imoralidade no mundo.

 

5. Respeite os Direitos e a Propriedade dos Outros.
Não roube.

Esta proibição casa diretamente com o mandamento [judaico] “Não furtarás”* nos [chamados] Dez Mandamentos. O ideal é que, desde que o nosso sustento provém da “mão” de D’us, a pessoa procure ganhá-lo honestamente e não através de recursos falsos. Ao se abster do furto, a humanidade afirma a sua fé na bondade da “mão” de D’us.

 

* Apesar da opinião de que este mandamento se refira especificamente ao furto de vida – sequestro -, porque há o mandamento em Levítico 19:11, que então se refere ao furto de bens.

 

6. Respeite as Criaturas de D’us.
Não seja cruel para com os animais.

Este mandamento começa com a advertência: “Não coma o membro de um animal vivo”. Isto leva ao maior respeito por todas as coisas vivas. O potencial espiritual mais elevado do homem lhe permite o domínio e o coloca no papel de guardião de toda a Criação. Também o obriga a utilizar toda a Criação de maneira respeitosa e responsável.

 

7. Respeite a Lei.
Mantenha a justiça.

Uma sociedade que subverte a Justiça ao falhar em instituir um sistema que assegure a retidão e a moralidade é um instrumento para expulsar a bênção de D’us para fora do mundo. Uma comunidade ou cidade onde não existem cortes ou leis [imparciais e virtuosas] será finalmente destruída pelos seus próprios habitantes, conforme foi demonstrado historicamente repetidas vezes.

 

(As Sete Leis Universais no Código de Maimônides – o Rabi Moshé ben Maimon -, de As Leis dos Reis. No Brasil, publicado pela Editora Maayanot.)

 

E não se esqueçam: as Leis dos Descendentes de Noá não são – nunca foram e nunca serão – leis “noéticas”, e sim, LEIS NOAÍTICAS. O Movimento dos Benêi Nôach não é movimento “noético”, e sim, O Movimento Noaítico. E os Benêi Nôach não são “noéticos” e sim NOAÍTAS (como há israelitas, aaronitas, levitas, por exemplo).

Do mesmo modo que a palavra em inglês Korahites (de Korah) torna-se Coraítas em português (de Corá), a palavra em inglês Noahites (de Noah) torna-se Noaítas (de Noá). 

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão
Bnei Noach

Exceto as Sete Leis de Noé, pode um não-judeu observar Mitsvot?

B”H

 

Exceto as Sete Leis de Noé, pode um não-judeu observar Mitsvót (Mandamentos Judaicos)?

 

Por Rabi Naftali Silberberg (do Chabad)

 

Apesar de que os Noaítas ou Benêi Nôach (Filhos de Noá) (isto é, os não-judeus que servem Hashém, O D’us da Torá) são ordenados apenas na observância das Sete Leis Noaíticas, [eles devem] observar SEUS outros mandamentos da Torá (todas as ramificações das Sete Leis, em outras palavras, todas as Mitsvót Mishpatím)[*] (ou seja, há exceções) com o propósito de receber recompensa divina.[**]

Um não-judeu pode observar as leis da cashér (para ter a certeza de que o abate do animal foi de acordo com a Lei Noaítica) e rezar em uma sinagoga, se é isso o que ele/ela deseja.

Um não-judeu pode fazer a maioria das mitsvót, mas não todas elas. Todas aquelas mitsvót que constituem um sinal entre D’us e os judeus ([as Edot,] como Tefilin, Mezuzá, Shabat, …) não devem ser observadas por um não-judeu. [De acordo com o Rabi Maimônides e o Rebe.]

 

Além disso, um não-judeu só deve estudar aquelas partes da Torá que são de relevância universal – ou seja, que afetem a sua observância das Sete Leis Noaíticas. [Também de acordo com o Rabi Maimônides e o Rebe.] Isto inclui o estudo de tópicos que aumentem o conhecimento nas áreas de moralidade, teologia e caridade. Veja http://www.asknoah.org/

 

Leia também o artigo

https://a-fe-original–noaismo.info//2018/04/02/o-modo-de-vida-dos-bnei-noach/

 

© AskMoses.com

Traduzido do inglês por Noaismo.info. © 2015-2019 Noaismo.info

 

Sobre distribuir nossos artigos, veja

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

 

* Daí que apesar do uso comum, popular, do nome Sete Leis de Noá, o mais adequado é chamá-las de Sete CATEGORIAS de Leis de Noá/Sete Categorias de Leis Noaíticas.

 

** O Rebe explicitamente disse:

“O judeu deve contar ao não-judeu sobre sua obrigação de observar as Sete Leis Noaíticas — e o mérito e recompensa que o não-judeu recebe por esta observância tanto neste mundo quanto no Mundo Por Vir.”

E para o esclarecimento de que quando se diz que os Noaítas (Benêi Nôach/Filhos de Noá) não devem estudar certas partes da Torá isto significa que, neste caso, a palavra Torá está se referindo ao estudo Talmúdico ou Haláchico das matérias que correspondem exclusivamente ao serviço judaico, não aos Cinco Livros de Moisés ou ao Tanách, veja

https://a-fe-original–noaismo.info/que-e-tora-no-judaismo-e-no-noaismo/

 

 

Padrão
Bnei Noach

66 Leis de Noé

B”H

 

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

O Rebe ensina que “as Sete Leis de Noá (Noé) são instruções gerais que abrangem inúmeros detalhes.” Ele fala da “observância das Sete Leis com todas as suas implicações e detalhes”, ou, “com todas as suas ramificações e extensões”.

Aqui está uma demonstração das Sete Leis serem contadas como SESSENTA E SEIS Leis de Noá, segundo o Rabi Aharon Lichtenstein (naturalmente, as Leis Noaíticas ainda são mais do que 66 Leis, como se pode constatar pelo fato de, por exemplo, não haver menção da Tsedacá, da honra aos pais, de não observar shábat, de não inventar religiões, de não se judaizar (sem buscar a conversão), entre muitas outras. Autoridades afirmam que as Leis de Noá são centenas).

 

 

SevenLawsNoahAharon

59 desdobramentos dos 7 Mandamentos Noaíticos

 


Observação:

 

Noaico(a) = Relativo a Noá.

Noaítico(a) = Relativo aos Noaítas (os descendentes de Noá que devotam Hashém).

 

(A palavra “noético” até existe de fato, tanto em português quanto em inglês (“noetic”), mas ela é uma palavra de origem grega (Noētikós), e sendo assim, a sua raiz não é de modo algum o nome “Noé” e sim a palavra (GREGA) Nous. Noético significa relativo à noése.

De nous vem as palavras Noéō, Noeîn, Nóēse, Noêtós, Noētikós (Noético), e por fim, Nóēma.)


 

7 Leis de Noá = 7 Categorias de Leis de Noá (que podem conter 59 desdobramentos)

 

Por Rabi Aharon Lichtenstein

(em noachide.org.uk)

 

Embora existam 7 Mandamentos Noaicos/Noaíticos básicos [(os Mandamentos dados pelo PRÓPRIO CRIADOR para toda a humanidade)], é possível subdividi-los em 59 desdobramentos de acordo com o Rabi Doutor Aaron Lichtenstein em seu livro “The Seven Laws of Noah” (“As Sete Leis de Noá”) [somando o total de 66 Leis]. Ele baseia esses desdobramentos nos 613 mandamentos para os judeus enumerados pelo Rabi Moisés Maimônides. Destes desdobramentos, 52 são negativos e 14 são positivos.

O número de desdobramentos para cada uma das 7 Categorias de Mandamentos Noaicos são:

Idolatria (10)
Blasfêmia (8)
Roubo (16)
Assassinato (1)
Relações sexuais ilícitas (10)
Justiça (19)
Membro de uma criatura viva (2).

 

 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Idolatria (10 desdobramentos):

1. “Proibido pensar que exista alguma divindade à exceção de Hashém, o Uno e Único.”

2. “Proibido fazer para si mesmo, ou mandar qualquer outra pessoa fazer, qualquer imagem de escultura (imagem esculpida) com fins de adorá-la.”

3. “Proibido fazer ídolos para serem usados por outra pessoa.”

4. “Proibido fazer quaisquer estátuas, mesmo que elas sejam para fins ornamentais.”

5. “Proibido curvar-se a qualquer ídolo [ou jurar por ele, ou oferecer-lhe vinho ou qualquer outra coisa, ou oferecer-lhe sacrifícios, ou acender incensos para ele, ou realizar qualquer ritual religioso perante ele, mesmo que não seja a forma habitual de adorá-lo].”

6. “Proibido a adoração de ídolos em quaisquer das suas formas habituais de adoração.”

7. “Proibido sacrificar os filhos, ou fazê-los passar pelo fogo, em honra a Molech (Moloque).”

8. “Proibido a prática e consulta de ov.”
[Ov é a adivinhação por meio de um mantra para obter um transe meditativo para se comunicar com os mortos.]

9. “Proibido a prática e consulta de yidoni.”
[Um yidoni envolve atos rituais e meditação como uma forma de profecia imaginária.]

10. “Proibido recorrer a qualquer coisa idolátrica [em palavra, em pensamento, em ação ou por qualquer observância que possa nos levar à sua adoração].”


 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Blasfêmia (8 desdobramentos):

1. “Reconhecer a existência de D’us.”

2. “Temer (reverenciar) D’us.”

3. “Orar a D’us.”

4. “Santificar o Santo Nome de D’us
[mesmo através do martírio].”

5. “Proibido difamar o Santo Nome de D’us [ainda que se chegue ao martírio].”

6. “Estudar as partes permitidas da Torá.”

7. “Honrar os estudiosos (sábios) da Torá/
Respeitar nossos professores
{e ainda respeitar os idosos}.”

8. “Proibido maldizer (proferir insultos).”


 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Roubo (16 desdobramentos):

1. “Proibido furtar [isto é, secretamente].”

2. “Proibido roubar [isto é, abertamente].”

3. “Proibido usurpar.”

4. “Proibido trapacear/defraudar.”

5. “Proibido deixar de pagar dívidas.”

6. “Proibido cobrar a mais {enganar em negócios}.”

7. “Proibido cobiçar.”

8. “Proibido invejar as posses de outras pessoas.”

9. “Permitir a um trabalhador que coma das frutas/cereais que ele está colhendo [mas sob certas condições].”

10. “Proibido um trabalhador comer das frutas/cereais que ele está colhendo [quando ele não está autorizado].”

11. “Proibido um trabalhador comer mais do que o permitido das frutas/cereais que ele está colhendo [ele não tem permissão para colher para si mesmo para levar para casa ou para comer mais tarde].”

12. “Proibido sequestrar.”

13. “Proibido usar falsos pesos e medidas.”

14. “Proibido possuir falsos pesos e medidas.”

15. “Deve-se ser exato e preciso no uso de pesos e medidas.”

16. “O ladrão deve devolver [ou pagar] o objeto roubado.”


 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Assassinato (Um desdobramento):

1. “Proibido assassinar qualquer pessoa [o assassinato não é o mesmo que matar {em legítima defesa} ou executar {judicialmente}].”


 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Relações Sexuais Ilícitas (10 desdobramentos):

1. “Proibido ter união com sua mãe.”

2. “Proibido ter união com sua irmã.”

3. “Proibido ter união com a esposa de seu pai.”

4. “Proibido ter união com a esposa de outro homem.”

5. “Proibido o homem ter relação sexual com animal.”

6. “Proibido a mulher ter relação sexual com animal.”

7. “Proibido o homem ter relação sexual com outro homem.”

8. “Proibido ter relação sexual com seu pai.”

9. “Proibido ter relação sexual com o irmão de seu pai.”

10. “Proibido engajar-se em conduta erótica que possa conduzir a uma união proibida. [Quer dizer, não ter prazer corporal não sexual (intimidades) com pessoas cujo casamento seria ilícito.]”


 

· Categoria do Mandamento de Estabelecer Tribunais de Justiça (19 desdobramentos):

1. “Nomear juízes e oficiais de justiça em cada uma das comunidades.”

2. “Tratar os litigantes com igualdade perante a lei.”

3. “Investigar diligentemente o depoimento das testemunhas.”

4. “Proibido proceder maliciosamente contra qualquer um dos litigantes.”

5. “Proibido um juiz aceitar presentes ou subornos dos litigantes.”

6. “Proibido um juiz se simpatizar mais com um dos litigantes no julgamento.”

7. “Proibido um juiz agir com medo de ameaças de um dos litigantes.”

8. “Proibido um juiz, por compaixão, favorecer um litigante pobre.”

9. “Proibido um juiz declarar um litigante culpado só porque ele é conhecido por ser desonesto ou mau (Proibido condenar uma pessoa má injustamente).”

10. “Proibido um juiz, por fraqueza, não impor as penas justas e apropriadas.”

11. “Proibido um juiz discriminar o estrangeiro[, o desamparado] ou o órfão.”

12. “Proibido um juiz ouvir somente um litigante, sem a presença do outro.”

13. “Proibido a nomeação de um juiz que não tenha conhecimento da Lei.”

14. “Proibido a incriminação por provas circunstanciais.”

15. “Proibido punir quem cometeu uma falha sob coação.”

16. “{Somente} um Tribunal de Justiça tem competência para administrar a pena capital.”

17. “Proibido alguém tomar a lei em suas próprias mãos para matar o autor de um crime capital. Vingança.”

18. “Testemunhar no tribunal.”

19. “Proibido testemunhar em falso.”


 

· Categoria do Mandamento da Proibição de Comer Qualquer Parte De um Animal Ainda Vivo (2 desdobramentos):

1. “Proibido comer partes de um animal, besta ou ave, que está vivo.”

2. “Proibido comer partes de um animal que foi morto por outro animal (Proibido comer um animal dilacerado).”


 

© 2003-2019 noachide.org.uk
(Site da The Noachide Association of Great Britain – Associação Noaítica da Grã Bretanha -, uma afiliada do Ask Noah International. Essa Associação está sob a direção e supervisão do Rabi Yitzchok Sufrin do Chabad (Chabad Lubavitch UK Hdqts. em Londres, Inglaterra). O Rabi Yitzchok Tzvi Sufrin é shalíach – emissário – do Rebe.

Traduzido do inglês e do espanhol por Noaismo.info: © 2015-2019 Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

QUANDO COMPARTILHAR A INFORMAÇÃO, NÃO ADIANTA APENAS CITAR A FONTE PRIMÁRIA – OU  O RABINO, OU A OBRA, OU O SITE ESTRANGEIRO – SE O TEXTO EM PORTUGUÊS NÃO FOI TRADUZIDO POR VOCÊ. PORTANTO, CITE, SIM, DE ONDE VOCÊ LEU O TEXTO EM PORTUGUÊS, A SABER, DO SITE NOAISMO.INFO.

 

Não nos esqueçamos de que o Noaísmo não é uma religião e não é uma seita judaica. Os noaítas (Bnei Nôach/Filhos de Noá) não são judeus. As Mitsvót (Leis Divinas) Universais são O Código de Conduta para toda a humanidade (por isto não tratam dos rituais judaicos (Shabát, Festividades, tefilín, etc.)).

Para a explicação de porquê não consta nesta lista as Leis Rituais e de porquê os Bnei Noach não podem e não devem cumprir as Leis Rituais (Edót) – pois isto constitue praticar o pecado de Chidúsh Dat – veja as páginas

https://a-fe-original–noaismo.info/como-o-bnei-noach-serve-hashem-conversao-ao-judaismo/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/o-rebe-diz-nao-a-judaizacao-de-bnei-noach/

 

Veja também:

https://a-fe-original–noaismo.info/palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/02/04/as-sete-leis-de-noe-no-talmud-da-babilonia-sanhedrin-56a/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2015/09/08/as-sete-mistvot-que-unem-a-humanidade/

 

https://a-fe-original–noaismo.info/2016/09/01/os-sete-mandamentos-dos-filhos-de-noach-noe/

Padrão
Bnei Noach

É permitido a um não-judeu estudar a Torá?

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

É permitido a um não-judeu estudar a Torá?

 

Por Rabi Shamai Ende (Chabad)

 

No Talmúd (Sanhedrín 59a) encontramos duas opiniões opostas sobre este assunto muito delicado, que ocorre com frequência na vida atual. Lá, conclui-se que a proibição de estudar a Torá com um não-judeu não se aplica às sete mitsvót (as chamadas leis dos filhos de Noá) que eles têm a obrigação de conhecer e cumprir.

Assim também Rabi Maimônides, em seu livro Mishnê Torá (hilchót melachím 8:10), escreve: “Nosso mestre Moshé transmitiu a Torá e seus mandamentos somente ao povo de Israel e aos que desejarem converter-se. Ele também nos ordenou, a mando de D’us, que devemos instruir todos os habitantes do mundo a receber sobre si as sete Mitsvót que os filhos de Noá (toda a humanidade) foram ordenados a cumprir. Aquele que as aceita e toma o cuidado de cumpri-las é considerado um chassíd (devoto)  (de Hashém) entre os povos, e tem parte no mundo vindouro, contanto que assim o fizer e aceitar, por ordem Divina explícita na Torá, por intermédio de Moshé, nosso mestre”.

No capítulo seguinte, Rabi Maimônides nos ensina a lista e os detalhes dos sete mandamentos de toda a humanidade a serem seguidos: 1. A proibição de praticar idolatria; 2. De blasfemar contra D’us; 3. De cometer homicídio; 4. De manter relações incestuosas e cometer adultério; 5. De roubar; 6. A obrigação de instituir um sistema judiciário; e 7. A proibição de ingerir um órgão de um animal que foi extraído ainda em vida.

Desta forma, (nós judeus) temos a obrigação de ensinar a um não-judeu todas as leis dessas mitsvót, que incluem muitos detalhes, como estudos profundos que reforçam a fé em D’us; as leis de recato que nos levam a não cometer atos imorais; as leis judiciais do Talmúd aplicadas a todo ser humano; as minuciosas proibições de roubar, enganar e prejudicar o próximo; as leis de tsedacá (caridade) e justiça social; reforçar atos de bondade, etc.

O Rebe lançou uma campanha mundial para propagar essas mitsvót para toda a humanidade, e explicou que o fato de não termos notícias de que no último milênio os sábios judeus difundiram essa lei deve-se às inúmeras perseguições que nosso povo sofreu durante a história, sem que tivéssemos a possibilidade de exercer alguma influência sobre as demais nações do mundo. No entanto, na época atual, quando deixamos de ser o povo perseguido e tornamo-nos muito influentes em vários setores, passa a ser uma obrigação de cada judeu cumprir essa lei, instruindo todos os povos a cumprir as suas.

O Rebe ainda frisou que essa é a melhor solução para vários problemas atuais, como a violência, a imoralidade, a decadência da educação, os conflitos etc., pois uma pequena luz pode dissipar muita escuridão. Desta forma estaremos construindo um mundo melhor, preparando a humanidade para receber a era messiânica, quando todos os povos habitarão em paz e harmonia, conforme consta (Yeshayáhu [Isaías] 2:4): “Não levantará um povo sobre outro a espada, e não mais aprenderão a guerrear”, e juntos servirão D’us, como disse o profeta (judeu Tsefaniá [Sofonias] 3:9): “Então eu darei a todos os povos uma língua pura a fim de que invoquem o Nome de Havayah e O sirvam em  harmonia.”

 

© Chabad.org

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

 

Sobre o Rabi Shamai Ende, veja:

 

 

Padrão
Bnei Noach

Pode um homossexual venerar Deus?

A Fé Original: Noaismo.info

O Site de Bnei Noach do Brasil

 

B”H

 

Pode um homossexual venerar D’us?

 

Por Rabi Yitzchak Ginsburgh (Gal Einai Israel)

 

Toda pessoa pode reverenciar D’us. Até mesmo aquele que não vive 100% nos caminhos de D’us e da Torá, ainda pode acreditar em D’us. À medida que se desenvolve sua crença em D’us, também se desenvolverá e fortalecerá sua convicção de observar os mandamentos Divinos. Não há nada que impeça uma pessoa de venerar O Único e Singular D’us de Israel.

No entanto, deve ficar muito claro que a condição que você descreve em sua carta é definitivamente proibida na Torá. Se é proibida, isso significa que esta não é uma condição natural, como muita gente acredita. Uma pessoa pode ser criada com alguma tendência, mas lhe é dada o poder em sua alma para dominar suas inclinações negativas. A condição que você descreve é uma inclinação muito negativa. Ao ordenar superar esta inclinação, a Torá dá à pessoa que crê em D’us e na Torá o poder espiritual para dominar essa tendência. Consequentemente ela pode adquirir uma tendência positiva, casar-se adequadamente como deseja a Torá e gerar filhos bons e saudáveis.

O Arizal descreveu uma grande quantidade de retificações para a homossexualidade. O principal é – “maalín bakódesh” – sempre ascender em santidade, de um nível para o nível seguinte. Que você tenha o mérito de fazê-lo com alegria em seu coração!

Se uma pessoa não pode superar ou tirar seus pensamentos dos sentimentos que você descreve, ela deve evitar as pessoas que fazem-na se sentir dessa maneira.

Concentrando-se no estudo da Torá, você pode superar totalmente esses sentimentos.

Quando seus pensamentos estão completamente concentrados na santidade, não há “espaço” para esses sentimentos. Seria importante também você se mudar para um novo lugar, preferivelmente Israel, se for judeu, onde possa conhecer gente nova e começar uma nova vida. Como sabemos – “meshané makóm meshané mazál” – mude seu lugar, mude seu mazál (sorte)!

Desejo-lhe muito êxito em seu empenho para desenvolver sua verdadeira conexão com o Divino.

 

© Rabi Yitzchak Ginsburgh
Traduzido do espanhol por Noaismo.info © 2015-2019 Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/copyright/

Padrão