Curso Bnei Noach parte 28

O PROJETO NOAÍSMO INFO APRESENTA

 

MINI CURSO GRATUITO DE INTRODUÇÃO AO TEMA DE BNEI NOACH

 

Idealizado por Projeto Noaísmo Info
Seleção, Organização, Edição: Proj. Noaismo Info

(Veja as palavras do próprio Rav Shimshon Bisker, de Israel, o Rabino Consultor do Projeto Noaísmo Info, sobre o trabalho do Proj. Noaismo Info, e sobre a menção de outros rabinos no Curso Bnei Noach, em:
ABERTURA DO CURSO SOBRE BNEI NOACH)

 

BNEI NOACH: VIGÉSIMA OITAVA PARTE

Por O Rebe (Rav Menachem Mendel Schneerson)
Traduzido do inglês por Projeto Noaísmo Info

 

A ERA MESSIÂNICA

 

A diferença entre Gueulá (גאולה, “redenção”) e Golá (גולה, “diáspora”) é uma letra, o Alef (א), que representa D’US, Alufo shel olam, “O MESTRE do mundo”. A Redenção não significa que renunciemos todas as atividades que realizamos no exílio. Pelo contrário, por definição, a palavra implica que durante o exílio certas atividades foram realizadas sob a subjugação a outras forças, e na Era da Redenção, seremos libertados desta subjugação.

A Redenção envolverá a libertação de todos os elementos da existência que foram subjugados no exílio. Nada será perdido. Pelo contrário, tudo será redimido. Todas as atividades e realizações positivas dos judeus (e também dos não-judeus) no exílio não serão anuladas. O que será anulado é a ocultação do verdadeiro ser interior do mundo que é causado pela substância material do mundo e a subjugação às regras da natureza que existe no presente. Mas todos os aspectos positivos do exílio permanecerão, e de fato serão elevados.

A presença contínua do nosso quadro material de referência na Era da Redenção é enfatizada pelas declarações de Rambam (o sábio Maimônides) sobre Mashiach. Ele escreve:
“Não presuma que na Era de Mashiach qualquer elemento da ordem natural será anulado, ou que haverá inovações no trabalho da Criação. Em vez disso, o mundo continuará de acordo com o seu padrão. …Os Sábios ensinaram: Não haverá diferença entre a era atual e a Era de Mashiach, exceto [a emancipação] de nossa [dos judeus] subjugação aos reinos [gentílicos].”

Se é assim, qual será a singularidade da Era da Redenção? O mundo inteiro “retornará à fé verdadeira,” e Mashiach “melhorará o mundo inteiro, (motivando) todas as nações a servirem D’US juntas.” Este é o propósito último do exílio, que sua verdadeira natureza interior seja revelada através de sua transformação em Redenção.

Nosso serviço [espiritual] no mundo em geral não é uma questão de pouca importância. Em vez disso, relaciona-se com o cumprimento da alma de cada pessoa como o Alter Rebe escreve em Tanya: “E este é o [propósito] final da humanidade, sua criação, e a descida de sua alma a este mundo, fazer uma morada para D’US nos mundos inferiores.” Na verdade, é através do serviço [espiritual] com o mundo e transformando-o em um vaso para A DIVINDADE que a intenção última para a criação de alguém e a do mundo inteiro é cumprida.

Uma vez que o propósito é estabelecer uma morada para D’US nos mundos inferiores, a Redenção não tem como objetivo negar o exílio, mas sim revelar A DIVINDADE (O Alef) dentro dele. O propósito final é a revelação da DIVINDADE dentro do contexto deste mundo, incluindo os elementos do mundo que existem no exílio, e assim transformar o mundo inteiro em uma morada para ELE.

Por esta razão, a vinda da Redenção depende do nosso serviço [espiritual] no exílio. Visto que a intenção é que A DIVINDADE seja revelada dentro do mundo, é necessário que o serviço que prepara para essa revelação seja da mesma natureza que a própria revelação e, portanto, tenha como objetivo atrair A DIVINDADE para cada elemento da existência mundana.

Isto nos ensina que Mashiach também existe no mundo em meio ao exílio. Ele também está no exílio e espera ansiosamente para se revelar e promover a redenção do povo judeu.

Um judeu também deve estar ciente de que o objetivo final de seu serviço não é se separar do mundo em geral, mas em suas relações com as nações gentílicas, ele também as influencia a reconhecer e servir D’US, um serviço que culminará na Era da Redenção, quando “D’US será REI sobre toda a Terra e naquele dia ELE será UM e SEU NOME, UM.”

Em conexão com a Redenção, encontramos a profecia: “E a realeza será do ETERNO”. Isso inclui a realeza, não apenas sobre os judeus, mas também sobre as nações gentílicas. Portanto, como uma preparação para a vinda de Mashiach, também é importante divulgar a observância das Sete Leis universais ordenadas aos descendentes de Noach.

Nesse contexto, é importante mencionar como as atividades do mundo e das nações gentílicas parecem estar auxiliando a vinda da Redenção. Nas gerações anteriores, os judeus sofreram opressão das nações gentílicas em que viviam e na geração atual, o oposto é verdadeiro. A maioria dos judeus vive em países [que] concederam liberdade religiosa e [que] também estão permitindo aos judeus a oportunidade de emigrar para Erets Yisrael. Além disso, eles estão até ajudando-os nesse objetivo. Isso ajuda a preparar o caminho para a reunião final dos exilados na Era da Redenção.

No momento, estamos no fim do exílio e a qualquer momento Mashiach virá. Em primeiro lugar, uma resposta é necessária para todos aqueles que estão preocupados quando ouvem um clamor de que todos devem fazer o que puderem para trazer Mashiach: eles estão preocupados que todo o tempo que passaram construindo negócios e relações sociais no exílio será perdido quando a Redenção vier.

Estas preocupações podem ser amenizadas com base nos conceitos explicados acima: a Redenção não anulará a ordem natural como ela existe atualmente. Pelo contrário, todas as conquistas positivas do exílio permanecerão e, de fato, serão elevadas com a vinda da Redenção. Dentro deles, se revelará O Alef, A PRESENÇA de D’US. Isto colocará o foco no que é a verdadeira intenção destas atividades, a revelação da honra de D’US em todo o mundo.

Portanto, uma pessoa não precisa se preocupar com o que vai ser de suas atividades comerciais quando Mashiach chegar. Pelo contrário, ele pode ter certeza de que todas as atividades que realizou de acordo com as diretrizes da Torá — mesmo aquelas que não estão diretamente associadas com a Torá e suas mitsvot — são de valor. No entanto, isso também aponta para a importância de uma pessoa manter em mente o propósito fundamental de sua atividade empresarial e certificar-se de que seus esforços sejam direcionados para revelar a honra de D’US.

Isso também leva a outro conceito. Uma pessoa não deve pensar que a Redenção será uma questão totalmente espiritual, sem qualquer conexão com nossas atividades neste mundo. Este não é o caso. Ao contrário, é por meio de nossas atividades no exílio que mereceremos a vinda da Redenção. Dentro dessas atividades também deve-se focar suas energias para elevar o mundo em geral. Em particular, isto deve ser expresso no aumento das doações de uma pessoa para a tsedacá (caridade), dando de seu esforço físico e riqueza para suprir outra pessoa com suas necessidades materiais.

Como se depreende da explicação da concepção de Rambam da Era da Redenção, haverá dois períodos e o segundo período será marcado pela introdução de uma ordem milagrosa de existência. Na Era da Redenção, A DIVINDADE SE manifestará em todo o mundo e ainda assim a ordem natural não mudará e apreciaremos esta revelação em um estado semelhante ao nosso atual.

A Redenção não significa o desmantelamento e a dissolução do exílio, mas sim a “inserção” e revelação de D’US dentro do exílio. A Gueulá se realiza através da revelação da PRESENÇA de D’US dentro do exílio, e mostrando que ELE é O Verdadeiro MESTRE do Universo. Assim como a palavra Gueulá não é feita de um conjunto separado de letras, mas das próprias letras da palavra Golá, assim também a Redenção vem através do nosso serviço [espiritual] no exílio — não através de algum tipo diferente de serviço.

A primeira etapa é revelar dentro do mundo que D’US é seu MESTRE. Uma vez que o próprio mundo oculta A DIVINDADE dentro dele (a palavra olam está relacionada a helam, ocultação) — o exílio se caracteriza pela ocultação da luz Divina —, um judeu deve servir D’US de uma forma que revele que tudo no mundo tem DIVINDADE dentro de si: isso significa que devemos usar todos os objetos físicos para um propósito sagrado — “por causa do CÉU” —. A segunda etapa é revelar a dimensão de D’US que transcende o mundo. Isso é feito principalmente através do aprendizado da Torá, que é mais elevada do que o mundo e o precedeu, e foi dada com uma revelação Divina que transcende o mundo. Chegamos então à terceira dimensão, a das maravilhas da Redenção que transcende totalmente a Criação.

 

COMO PODEMOS AVALIAR SE UMA PESSOA É REALMENTE O MASHIACH?

 

De acordo com o Rambam, Mashiach restaurará a monarquia. Ao restaurar a monarquia judaica, o Mashiach construirá o Beit Hamicdásh [o Terceiro Templo] e reunirá o povo judeu, criando assim um ambiente no qual o povo judeu será capaz de observar a Torá e suas mitsvot da forma ideal. Além disso, ele removerá quaisquer obstáculos para este fim no mundo em geral. Como consequência, o povo judeu “será livre (para se envolver) na Torá e sua sabedoria, sem ninguém para oprimi-lo ou perturbá-lo. Naquela época não haverá nem fome nem guerra… [e] a ocupação do mundo inteiro será unicamente conhecer Deus.” Ou seja, enquanto a ordem natural do mundo prevalece, o povo judeu e o mundo em geral serão elevados a um estado perfeito de conhecimento e prática. Este é o propósito da vinda de Mashiach.

[Portanto,] o Mashiach terá duas funções: rei (como é chamado Melech Hamashiach) e Rav (pois ele ensinará a Torá a todo o povo). O Mashiach restaurará a monarquia judaica. O Mashiach, como rei, não apenas redimirá os judeus do exílio, mas também restaurará a observância da Torá e das mitsvot ao seu estado completo. Todos os elementos da observância da Torá que faltaram no exílio — porque o povo judeu inteiro não vivia em Erets Yisrael e porque o Beit Hamicdash foi destruído — serão renovados. Através de suas atividades, a realeza de D’US será estabelecida em todo o mundo, “e D’US será REI sobre toda a Terra”.

Uma vez que a intenção da vinda de Mashiach é trazer um estado completo de observância da Torá, está fora de questão conceber que ele deve ser um fazedor de milagres. A missão de Mashiach não é fazer maravilhas, e sua execução de maravilhas ou o fato de que não as realiza não devem ser usados como critérios para estabelecer sua identidade.

Como podemos avaliar se uma pessoa é realmente o Mashiach? Observando se ela cumpre ou não o propósito declarado acima, a restauração e estabelecimento da completa observância da Torá e suas mitsvot. Nesta fase, quando se torna possível observar a Torá e suas mitsvot em sua totalidade, a Era da Redenção terá realmente começado. Nesse momento, todas as nações do mundo apreciarão a soberania de Deus e aceitarão Mashiach como rei.

 

Que seja a vontade de D’US que todos nós nos reunamos na cidade sagrada de Yerushalayim e no Monte do Templo Sagrado com a construção do Terceiro Beit Hamicdásh.

 

(O curso prossegue na próxima parte.)

 

Por Rav Menachem Mendel Schneerson (O Rebe de Lubavitch)
Traduzido do inglês por Projeto Noaísmo Info: © Projeto Noaismo Info

© Rav Menachem Mendel Schneerson
© Projeto Noaismo Info

Clique aqui  Bnei Noach 27
Clique aqui 
Bnei Noach 29

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Projeto Noaismo Info

© Projeto Noaismo Info (Site Bnei Noach)