A Fé da Torá (Judaica/Noaítica), Bnei Noach

O Rebe, os judeus e os Bnei Noach

A Fé Original: Noaismo.info

O Site Bnei Noach

 

B”H

O REBE, OS JUDEUS E OS NOAÍTAS (Bnei Noach)

 

Por Rabi Moshe Feller (Chabad) e Projeto Noaismo Info

 

Liderando o movimento Lubavitch, o Rebe criou a maior e mais dinâmica rede educacional judaica mundial do judaísmo. Existem cerca de 4.000 filiais Lubavitch em todo o mundo.

Eu quero focar aqui em um aspecto particular da liderança do Rebe. Enquanto o século 20 assistiu a uma série de gigantes espirituais que trabalharam para melhorar a espiritualidade do povo judeu, o Rebe foi incomparável porque ele também trabalhou diretamente para aumentar a espiritualidade dos não-judeus.

Pode estar certo de que os judeus não fazem proselitismo. O Rebe não estava lá para convencer os não-judeus a se tornarem judeus. Os esforços do Rebe se concentraram nos não-judeus serem espirituais através do cumprimento das Sete Categorias de Leis Noaíticas (que O Todopoderoso ordenou).

Depois do Dilúvio, D’us fez um pacto com Noach e sua família constituído de Sete Categorias de Leis que toda a humanidade deve observar:

1) devotar somente D’us;
2) não blasfemar contra D’us;
3) não assassinar;
4) não cometer crimes sexuais;
5) não roubar;
6) não ser cruel com os animais (especificamente não consumir o membro de um animal antes de tomar a sua vida);
7) buscar a justiça como uma sociedade (o oposto de anarquia).

D’us comunicou a Moshe Rabênu que ELE tinha feito este pacto com Noach e encarregou Moshe de informar o povo judeu que eles têm a obrigação de influenciar a humanidade para observar essas leis (ver Rambam, Mishnê Torá, As Leis dos Reis, capítulo 8, leis 10 e 11).
( Veja em
https://a-fe-original–noaismo.info/2016/08/01/site-bnei-noach-maimonides-e-os-bnei-noach/ )

Por todo o nosso longo exílio, este ensinamento da nossa responsabilidade de divulgar essas leis a toda a humanidade foi, por uma variedade de razões, negligenciado.

Os grandes líderes da Torá não impeliram seus seguidores a se concentrarem na obrigação de disseminar as sete categorias de leis noaicas à humanidade. Mas não é assim com o Rebe. Ele dinamicamente encarregou os judeus de levar a cabo a sua obrigação da Torá e disseminar estas sete categorias de leis noaicas a não-judeus.

A Torá cobra dos judeus que eles mesmos sejam conscientes de D’us e que influenciem os não-judeus a serem conscientes de D’us. A consciência de D’us é a base destas sete categorias de leis, ao mesmo tempo que é a base de toda a Torá.

Nós podemos divulgar a nossa consciência de D’us de um modo muito simples. Quando alguém lhe perguntar como você está, responda acrescentando “Graças a D’us”. Ao marcar um encontro, diga “se D’us quiser, lhe verei amanhã.”

Deixe seus amigos não-judeus observarem a sua consciência de D’us. Seja um exemplo e um modelo de consciência de D’us.

Por isso, quando eu entro em um táxi, pergunto ao motorista: “Você já agradeceu a D’us hoje?”, e isso invariavelmente inicia uma conversa de consciência de D’us.

Uma vez eu peguei um táxi no aeroporto de La Guardia. Perguntei ao taxista haitiano negro: “Você já agradeceu a D’us hoje?” Eu quase caí para fora do táxi quando ele virou a cabeça para mim e, sorrindo, respondeu em hebraico: “Barechú Hashém iom iom” (“Graças a Hashém (D’us) dia a dia”).

Alegremente eu perguntei: “Onde você aprendeu essa frase?”

Ele me disse que antes de começar a trabalhar como taxista, ele tinha trabalhado seis anos para um vendedor chassídico no Lower East Side de Manhattan. Todas as manhãs ele estava ao lado do vendedor quando o vendedor abria a porta. Quando o vendedor via que tudo estava bem, ele dizia essas palavras: “Barechú Hashém iom iom.”

“Depois de um tempo”, continuou o taxista, “eu perguntei: ‘O que significam essas palavras?’ E ele me disse que significam ‘Graças a D’us dia a dia’ – e eu tenho agradecido a D’us dia a dia desde então. Quando você me perguntou se eu agradeci a D’us hoje, imaginei que você iria gostar de ouvir a minha resposta em hebraico.”

Por agradecer a D’us explicitamente na presença de seu empregado não-judeu, o vendedor influenciou um humano não-judeu a agradecer a D’us dia a dia – precisamente o objetivo da campanha de consciência de D’us do Rebe para toda a humanidade.

Eu abri o Senado dos Estados Unidos em Washington com as sete leis noaicas. Recitei essas leis a um grande grupo de pessoas do clero no Ground Zero após o 11 de setembro. Mas nunca obtive uma resposta como a que obtive daquele taxista haitiano.

Disseminar as “Shéva Mitsvót Bnei Noach” – as Sete Leis dos Descendentes de Noé – para toda a humanidade é a nossa obrigação, que foi reinstaurada e reiterada apenas agora na nossa geração pelo Rebe.

 

Veja também

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-palavras-do-rebe-a-toda-a-humanidade-a-todos-os-nao-judeus-do-mundo/

https://a-fe-original–noaismo.info/2015/09/25/site-bnei-noach-e-permitido-a-um-nao-judeu-estudar-a-tora/

 

© Rabi Moshe Feller

Traduzido do inglês e editado por Projeto Noaismo Info: © Projeto Noaismo Info

Bnei Noach_Noaismo.info_Copyright_2020

Site Bnei Noach (BRA)_Bnei Noach_Filhos de Noé_Leis Universais_Noaismo.info

https://a-fe-original–noaismo.info/site-bnei-noach-copyright/

Padrão