A Fé Original: NOAISMO

B”H

 

Prezados Leitores:
O site Noahidebr.com agora é A Fé Original: Noaismo.info.

Para acessar os nossos posts, clique em MENU, e em PÁGINA DE POSTS.

 

 


Nas palavras transliteradas, “CH” deve ser pronunciado como “rr” e “SH” como “ch”.


 

 

O Judaismo e o Noaismo ensinam:

 

 

Rabi Moshé ben Maimón (ou Rambám, ou também, Maimônides)

 

“Todas as nações retornarão à Fé verdadeira.

A principal ocupação do mundo inteiro será somente conhecer D’us.”
— Rabi Maimônides

 

 

 

Rabi Menachem Mendel Schneerson (ou Lubavitcher Rebe, ou também, o Rebe) — o líder da nossa geração

 

“Fazer deste mundo físico um lugar de morada para D’us inclui os esforços dos judeus para influenciar as pessoas do mundo a observar as Sete Leis Noaíticas e todas as suas ramificações.

A idéia de fazer deste mundo um lugar de morada para D’us significa que é através da observância das Sete Leis Noaíticas que o mundo inteiro se torna um receptáculo adequado para O DIVINO. Então, promete a Escritura: “A Glória [(Presença)] de Havayah será revelada e todas as criaturas A verá — diz Havayah.” (Isaías 40:5) O Rabi Maimônides decreta (As Leis dos Reis 11:4) que Mashíach [o verdadeiro messias] retificará o mundo inteiro e levará todas as pessoas a servirem Hashém juntas, como (Sofonias 3:9) declara: “Então eu darei a todos os povos uma língua pura a fim de que invoquem o Nome de Havayah e O sirvam em harmonia.”

É dever do judeu em todas as eras, e não somente no tempo do Mashíach ou nos tempos dos Bêt Hamicdásh (Templos), fazer com que todos os povos reconheçam D’us como CRIADOR e GOVERNANTE do mundo e levem a vida justa e decente que vem do cumprimento das Sete Leis Noaíticas.

Os não-judeus foram ordenados a acreditar em D’us, O CRIADOR e GOVERNANTE do universo, [e] D’us deixou a humanidade saber como servi-LO através da Torá. Um judeu deve estar ciente de que existem não-judeus no mundo que não sabem dos Sete Princípios Noaíticos, e, portanto, ele [o judeu] deve fazer tudo o que está ao seu alcance para garantir que eles [os não-judeus] conheçam-nos e observem-nos.

As nações do mundo receberam um código divino de conduta, as Sete Leis Noaíticas, que consistem em: acreditar em D’us e não praticar idolatria, não assassinar, não roubar, não cometer adultério ou incesto (ou homossexualidade), não blasfemar contra D’us, proibido a crueldade para com os animais e estabelecer um sistema judicial. Estas Sete Leis Noaíticas são declarações gerais, que, com suas ramificações e extensões, abrangem inúmeros detalhes.

A razão pela qual estas Sete Leis devem ser observadas também é importante. O Rabi Maimônides decreta (As Leis dos Reis 8:11) que os Descendentes de Noá (ou seja, toda a humanidade) “devem aceitá-las e observá-las porque D’us ordenou-lhes na Torá e nos deixou saber sobre isso através de Moshé Rabênu que os Descendentes de Noá foram ordenados sobre elas antes.” Um não-judeu se conduz em consonância com as Sete Leis porque elas são a palavra do CRIADOR — os mandamentos de D’us transmitidos através de Moshé. Todas as nações devem cumprir os mandamentos universais de D’us — as Sete Leis Noaíticas.

Quando a nação judaica aceitou a Torá e suas leis, aceitaram também a tarefa e a missão especial de influenciar os não-judeus a cumprir as Leis Noaíticas. Esta obrigação de influenciar os não-judeus a reconhecer D’us e observar as Sete Leis Noaíticas se aplica não apenas àqueles judeus que têm influência nos círculos do governo, nem se aplica somente quando uma oportunidade especial surge. Aplica-se a todos os judeus.

Assim, ainda que um judeu tenha muito a fazer para pôr em prática a sua própria situação espiritual — e a de outros judeus —, todo judeu é obrigado a influenciar os não-judeus a observar as Sete Mitsvót.

A missão de um judeu não é apenas disseminar o judaísmo entre os judeus, mas também cumprir a mitsvá de influenciar todos os povos a aceitar e guardar as Sete Leis Noaíticas. Todos devem difundir a Torá entre os judeus e também entre os não-judeus nas áreas que lhes são aplicáveis.

Por estarmos na geração de Mashíach, um judeu deve, a todo momento, em qualquer caso, contar ao não-judeu sobre sua obrigação de observar as Sete Leis Noaíticas — e o mérito e recompensa que ele [o não-judeu] recebe por esta observância tanto neste mundo quanto no Mundo Por Vir.

Ajudar os não-judeus a pensar em D’us e a cumprir as mitsvót que lhes são ordenadas, as Sete Leis Noaíticas, é aplicável a todos os judeus. E, como já foi dito, a observância universal das Sete Leis Noaíticas é o prelúdio da era messiânica quando todos servirão D’us juntos.

Por a nação judaica difundir a crença no CRIADOR e MESTRE do mundo a todos os povos, o mundo é permeado com a idéia de “conhece O D’us de vossos antepassados [(Nôach e Adám)] e sirva-O com todo o coração.” (Alusão à 1 Crônicas 28:9) Isto serve como preparação para a era messiânica, quando “toda a terra ficará preenchida com o conhecimento de Havayah assim como as águas no mar cobrem os oceanos.” (Isaías 11:9)

Quando todos os judeus realizarem esta missão de falar com os não-judeus deste maravilhoso ensinamento baseado na Torá — os mandamentos de D’us para a humanidade —, [e, por sua vez, aqueles não-judeus que se tornaram noaítas] também falarem [dele] às suas famílias e amigos em todas as oportunidades, ajudando ativamente a espalhar as Sete Mitsvót, e assim ajudando o mundo inteiro a conhecer e reconhecer que existe um CRIADOR do mundo, “para que todos os povos da terra saibam que Havayah é D’us, e que não há outro” (I Reis 8:60), então nós mereceremos o cumprimento da promessa: “Havayah SE tornará REI sobre toda a terra; nesse dia, Havayah será UM e SEU NOME Um.” (Zacarias 14:9)
— o Rebe

 

(Discursos do Rebe: © Chabad.org
Traduzido por Noaismo.info: © 2015-2019 Noaismo.info)

 

 

 

Rabi Eliyahu Benamozegh (foi o orientador do ex-cristão Aimé Pallière — que está na foto ao lado)

 

“Para estar na verdade, para pertencer à verdadeira Fé, você não precisa abraçar a judaicidade [identidade judaica]. Nós, judeus, conservamos (em nossa tradição) a Fé destinada a toda a humanidade, a única Fé à qual os não-judeus estão sujeitos e pela qual são salvos e verdadeiramente na graça de D’us, como foram-no nossos patriarcas antes da entrega da Torá. Poderia você supor que a verdadeira Fé — aquela que D’us destina a toda a humanidade — data somente da época de Moshé, e que (ela) é propriedade exclusiva de um povo especial? De modo algum. Aprenda que o plano de D’us é muito maior do que isso. A Fé da humanidade não é outra senão o Noaísmo, não porque ela foi fundada por Noá, mas porque foi através da pessoa deste justo que foi feito o pacto de D’us com (toda) a humanidade. Esta é a Fé preservada por Israel para ser transmitida aos não-judeus. Este é o Caminho (Espiritual) que se abre diante dos seus esforços e, na verdade, diante dos meus também, já que é meu dever difundir o conhecimento disto. E (este Caminho Espiritual) está aberto aos esforços de qualquer um, de todo aquele que acredita na Revelação (do Sinaí), sem ser necessário aderir à judaicidade, que é o estatuto particular de Israel.
O Noaísmo é a verdadeira e única Fé eterna dos não-judeus, e (o Noaismo) tem sua base em comum com Israel.”
— Rabi Eliyáhu Benamozegh
(Rabino da comunidade sefardita de Livorno, Itália)

(CONTINUA.)

 

 

 

bíblia — A Torá, ou, O Tanách

 

“Pois os filhos de Israel (Benêi Yisrael) são MEUS servos. Eles são MEUS servos porque EU os tirei da terra do Egito. EU sou Havayah, vosso D’us.”
— Vaicrá/Levítico 25:55

 

“Tu, (povo de) Israel[,] (tu és) MEU servo! (Filhos de) Yaacóv! EU vos escolhi (para ser MEU povo porque vós sois) os descendentes de Avrahám, que ME amou (e se afastou da idolatria). … EU disse, tu és MEU servo (desde o momento em que) EU te escolhi, e EU não te desprezarei. … Não temam (filhos de) Yaacóv, povo de Israel … . EU te ajudei (no passado)”, disse Havayah, “e (EU,) O SANTO de Israel, EU serei seu redentor (no futuro).” Isto foi dito por D’us, Havayah[:] “EU sou Havayah. (O que) EU disse sobre ti (Mashíach[, o verdadeiro messias,] por meio dos profetas) é verdadeiro (e eterno)! … EU … te darei o poder para trazer o pacto (da Torá) para MEU povo [e serão uma luz para as nações].” D’us disse: “EU ME mantive quieto por todo este tempo (em que as nações perseguiram o MEU povo). EU fiquei em silencio (e) refreei-ME. (Mas agora …) elas serão obliteradas e consumidas todas juntas.” E agora, assim disse Havayah, teu CRIADOR, ó Yaacóv, AQUELE que te formou, ó Israel: “Não temas, pois EU te redimi, EU te chamei pelo nome, pois tu és MEU. Vocês [judeus] são MINHAS testemunhas”, declara Havayah, “e MEUS servos, a quem EU escolhi, de modo que vocês ME conhecerão e acreditarão em MIM, e entenderão que EU sou ELE; antes de MIM nada foi criado por um deus, e depois de MIM não haverá! EU, somente EU sou Havayah, e além de MIM não existe outro salvador.”
— Ieshayáhu/O Profeta Judeu Isaías 41:8-9, 14; 42:5-6, 14; 43:1, 10-11 (Torá Rashi – Tradução e notas: Yaacov Nurkin; © Maayanot.)

 

“Assim diz Havayah dos Exércitos: ‘Nesses [atuais] dias, dez pessoas de todas as línguas e nações segurarão a orla das vestes do judeu, dizendo: ‘Iremos (aprender sobre D’us) contigo, porque (agora) sabemos que D’us está contigo!’ ‘”
— Zechariá/O Profeta Judeu Zacarias 8:23

 

“Ó Havayah … (um dia,) a TI virão as nações desde as extremidades da terra, e dirão: ‘Nossos pais herdaram somente mentiras e coisas vãs em que não há proveito. Pode um humano fazer deuses para si quando ele próprio não é um deus?’
‘Por isso(‘, diz Havayah, ‘)eis que EU as farei conhecer MEU poder e MINHA força, e elas (as nações) saberão então que o MEU NOME é Havayah’.”
— Irmyáhu/O Profeta Judeu Jeremias 16:19-21

 

(Crédito da foto: © Chabad)

 

(© Maayanot)

Este é o Noaismo, a Fé Original da humanidade, o Caminho Espiritual dos não-judeus.

“A soberania de [Havayah (D’us)] será reconhecida e aceita pela humanidade. As nações procurarão Israel que espalhou através dos tempos o conhecimento do verdadeiro D’us, apesar das campanhas contrárias. E (Israel) vai ensinar-lhes o [Noaismo, o] caminho adequado para servi-LO.” — Título do capítulo 47 dos Salmos da Editora & Livraria Sêfer.

 

Não somos cristãos. Não somos messiânicos (cristãos hebraistas). Não somos maometanos (muçulmanos). … Somos não-judeus que aprendem a Torá com os judeus. Servimos Hashém, O D’us de Israel, sem nos convertermos ao judaismo. Seguimos a Fé Original da humanidade, a Fé de nossos antepassados, a Fé de Nôach (Noá) e Naamá e de Adám e Chavá (Eva), e cumprimos as Mitsvót (Leis Divinas) Universais.

 

Anúncios